TÚNEL DO TEMPO: CORRIDA DO ARTILHEIRO 2016

TÚNEL DO TEMPO: CORRIDA DO ARTILHEIRO 2016

No primeiro domingo de 2016 aconteceu em Curitiba a XIV Corrida do Artilheiro, uma realização do 5º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado (5º GAC AP) com provas de cinco e dez quilômetros.

A estrutura foi montada no interior do Quartel com cerimônia de execução do Hino Nacional e hasteamento da bandeira. A largada dos corredores de 5 km estava programada para às 8:30 horas e dez minutos depois para os corredores de 10 km.

Enquanto aguardava o momento da largada fiz o meu alongamento, conversei com algumas pessoas conhecidas e depois me afastei para iniciar a minha concentração. Coloquei os meus fones para isolar o barulho e por alguns minutos me mantive imóvel, controlando a respiração até os batimentos cardíacos chegarem a 62 BPM.

Na sequencia fui calmamente para o local da largada. Um tiro de canhão marcou o início da prova. Procurei iniciar com calma e esperei para começar a acelerar o ritmo das passadas. Completei o primeiro quilômetro em sete minutos e seis segundos.

Reduzi um pouco o ritmo e consegui mantê-lo pelos dois quilômetros seguintes. Aproveitei para realizar algumas ultrapassagens o que me permitiu completar o quarto quilômetro em 6 min 46 seg.

Retomei o ritmo que vinha correndo anteriormente e cheguei na metade da prova com um tempo acumulado de aproximadamente trinta e seis minutos. Nos dois quilômetros seguintes decidi trotar um pouco para economizar as minhas energias para o final.

Após completar o sétimo quilômetro voltei a acelerar o ritmo alternando o trote com um pouco de caminhada rápida até o final do no quilômetro.

O tempo acumulado era de cerca de uma hora e oito minutos. Sabia que seria difícil atingir o meu recorde  pessoal de 1 h 16 min 10 seg. Após passar pelo portão do Quartel enfrentei um subida de paralelepípedos até chegar a reta de chegada.

Quando coloquei o pé no asfalto respirei fundo e iniciei a minha arrancada. Ao cruzar a linha de chegada atingi a velocidade máxima de 14,50 km/h. Apenas travei o cronômetro sem sequer olhar para o tempo final.

Aliás o que mais interessava para mim foi o fato de não ter chovido durante a prova. Enfim, foi uma corrida tranquila apesar do frio de 12ºC.

Em casa analisei com calma os dados e notei que o meu tempo de conclusão da prova foi de 1 h 16 min 18 seg. Pois é, apenas nove segundos me impediram de bater o meu recorde.

Não fiquei chateado pelo fato de não ter melhorado o meu tempo. O mais importante foi a oportunidade de aprender com tudo o que ocorreu ao longo da corrida.

 

Norman Bitner

Nascido em Curitiba - PR. Administrador, bancário, atleticano, corredor de rua, canhoto.