#TBT JUNHO 2019

02/06 – 2ª ETAPA SMELJ

O início de junho foi marcado pela segunda etapa do Circuito de Corridas da Prefeitura de Curitiba promovido pela SMELJ Secretaria Municipal do Esporte, Lazer e Juventude.

O céu estava cinzento e a principal preocupação dos corredores era a chuva. Felizmente ela deu uma trégua. Larguei com tranquilidade e fui me preparando para as subidas que teria que enfrentar mais adiante.

Passei pela placa dos 5 KM com o tempo de 37:36 e sabia que dali pra frente o percurso seria mais difícil. Não tinha preocupação com o tempo que terminaria a prova e reduzi bastante o ritmo nas subidas.

Ao longo dos 10 KM encontrei várias pessoas conhecidas com quem compartilhei a minha energia. Quando entrei no último quilômetro comecei a acelerar o meu ritmo.

Passei a linha de chegada com o tempo de 1:23:35″. Fiquei muito satisfeito com o resultado alcançado diante das dificuldades enfrentadas no percurso.

 

09/06 – INCLUSIVE CORRENDO

Esta corrida foi um pouco diferente daquelas que estou acostumado a participar. Organizada pela Thomé e Santos a corrida tinha por finalidade incluir as pessoas com necessidades especiais no mundo da corrida de rua.

Como doei sangue no sábado sabia que não teria condições de forçar o meu ritmo ao longo do percurso de cinco quilômetros. No caminho passei por corredores deficientes visuais e cadeirantes, aproveitei para transmitir para eles a minha energia positiva.

Cruzei a linha de chegada com o tempo de 37:56 e fiquei muito satisfeito com o resultado.

 

16/06 – 15 KM de Santa Felicidade

Também conhecida pelo nome de 15 KM DE SANTA esta corrida tem como principal característica o seu percurso desafiador com muitas subidas.

Participei em 2018 e completei em 02 h 09 min. Portanto o meu desafio era baixar este tempo. Desde a largada fui controlando o meu ritmo para enfrentar as subidas mais adiante.

No entanto perto do km 5 encontrei duas corredoras que estavam em um ritmo mais lento que o meu. Naquele momento decidi mudar completamente a minha estratégia de corrida.

Abandonei a ideia de correr pelo recorde pessoal. Dali em diante acompanharia aquelas duas jovens corredoras até o final.

Seguimos alternando a caminhada com a corrida, conversando e compartilhando a nossa energia. Por volta do km 8 uma delas seguiu adiante pois estava melhor fisicamente. Eu segui acompanhando a outra corredora.

Terminei com o tempo de 02 h 17 min. Não bati o meu recorde mas me senti extremamente contente por ter compartilhado a minha energia positiva.

 

Desafio cumprido

No início de 2018 estabeleci como desafio percorrer a distância de 600 km entre caminhadas, treinos e corridas.

O número 600 pode assustar mas se ele for dividido pelos doze meses fica mais fácil concluir que o era possível cumprir o desafio.

A cada mês fui percorrendo um distância superior a 50 km. Sendo assim no final do mês de outubro alcancei a marca dos 600 km.

Como tinha pela frente os meses de novembro e dezembro coloquei mais cem quilômetros no meu desafio. Ao final da primeira semana de dezembro atingi a nova marca estabelecida.

O que fazer tendo ainda três semanas para o final do ano? Como marcar a minha conquista?

Completei o ano de 2018 com a distância de 740,23 km percorridos. Para comemorar planejei uma doação de sangue. No entanto, fui convencido por uma amiga a adiar para o início de fevereiro.

O ano de 2019 iniciou com um novo desafio: percorrer 800 km. Já no primeiro dia do ano fiz um treino de 9 km.

Cheguei ao final de janeiro com a distância de 109,81 km, ou seja, com uma sobra de 43,15 km em relação a média mensal projetada.

Hoje, dois de fevereiro, foi o dia da doação de sangue. Junto comigo estavam várias pessoas do grupo de corrida do qual participo.

Aguardei alguns instantes até chegar a minha vez. Doar sangue é um ato de solidariedade que permite salvar quatro vidas.

Junto com os 450 ml do meu sangue também estava um pouco da minha energia positiva. Enfim, foi um momento muito gratificante.


Cinco anos de corridas de rua – Final

Certo dia estava atualizando a planilha onde registro várias informações sobre as minhas corridas e vi que no dia cinco de agosto de 2012 participei da minha primeira corrida.

Pois é, há cinco anos eu dava as minhas primeiras passadas no emocionante e fascinante mundo das corridas. Neste período tive a oportunidade de participar de várias corridas, viver emoções, reencontrar pessoas que não via há muitos anos e formar novas amizades.

No mês de julho participei de três provas. A primeira delas foi a Etapa Inverno do Circuito das Estações. Sem dúvida o principal pensamento que passava pela minha cabeça era como iria me comportar quando passasse pela placa dos 5 km.

Decidi que não iria prestar atenção nas placas e segui no meu ritmo.  a primeira placa que eu vi foi a que marcava os 8 km. Já estava próximo do final e comecei a acelerar as minhas passadas. completei os 10 km em 1 hora, 17 min e 37 seg.

A corrida seguinte foi a de 5 km da Track&Field Pátio Batel. Segui num ritmo tranquilo e percorri os 5km em 37 minutos.

No final de julho participei de uma das corridas mais esperadas: a Corrida de Santos Dumont. Nesta prova a largada e a chegada são na pista de pouso do Aeroporto do Bacacheri.

Por se tratar de uma corrida noturna com cerca de cinco mil participantes procurei uma boa posição para largar com cuidado. No ano passado corri a prova de 10 km e em 2017 escolhi os 5 km. Procurei manter a calma mas fui logo procurando espaço para desenvolver um bom ritmo.

Sabia que deveria aproveitar o primeiro quilômetro pois a maior parte do percurso usaria a pista do aeroporto. A iluminação se limitava às lanternas dos corredores que estavam na minha frente. Mantive um ritmo confortável e fui controlando a distância que faltava para o término da prova.

Ao passar pela marca dos 4 km passei a acelerar as minhas passadas e fiz algumas ultrapassagens. Quando fiz a última curva me preparei para a minha arrancada. Olhei para o pórtico da chegada e escolhi o caminho que iria percorrer. Apesar de ter tido alguns problemas no último quilômetro terminei a corrida bem fisicamente.

Para a minha grande surpresa o meu tempo de 34:35 ficou bem próximo do meu recorde pessoal dos 5 km. Fiquei um pouco chateado por não ter batido a minha marca por poucos segundos mas fiquei contente por ter conseguido o meu melhor tempo em corridas noturnas.

Agradeço a todas aquelas pessoas que sempre me incentivaram seja correndo ao meu lado ou torcendo por mim. Muito obrigado pela enorme energia positiva que vocês me transmitiram durante estes cinco anos.