Cinco anos de corridas de rua – Parte 7

Temporada de 2016 – 1º Semestre

A primeira corrida do ano foi realizada no terceiro domingo de janeiro. Depois de participar de muitas corridas de cinco quilômetros decidi finalmente mudar para o mundo doa dez quilômetros.

Completei os 10 km da Corrida da Ponte em 1 hora, 19 min e 19 seg. A partir de agora esta seria a marca a ser batida.

No domingo seguinte enfrentei os 10 km da Batel Run. Larguei com calma e resolvi seguir num ritmo lento na primeira metade do percurso. Não me preocupei com o tempo decorrido e cruzei a linha de chegada com o tempo de 1 hora, 19 min e 59 seg.

Em fevereiro participei da Track & Field Pátio Batel. Como tinha conhecimento de que o percurso de 10 km era de duas voltas de 5 km escolhi a distância menor. Sendo assim completei a prova em 39 min 06 seg.

No final de março sofri uma queda durante um treino e fraturei o ombro. Fiquei impedido de participar da Corrida Noturna Unimed que estava marcada para o dia quatro de abril.

A minha primeira prova depois da fratura foi em meados de abril, ocasião em que participei da primeira etapa do Circuito de Corridas de Rua da Prefeitura de Curitiba. Enfrentei muitas dificuldades ao longo do percurso, pois não conseguia passar do ritmo do trote.

Completei os 10 km em 1 hora, 20 min e 26 seg. Sabia que este meu fraco desempenho era devido ao abalo psicológico por causa da fratura no ombro.

Sem dúvida a minha recuperação seria muito lenta. O tempo necessário para retomar o meu ritmo de corrida estava indefinido.

Na corrida Unidos pela Vida consegui melhorar um pouco e percorri os 10 km em 1 hora, 18 min e 48 seg. No entanto tinha grandes dificuldades para evoluir do trote para a corrida.

No início de maio participei da Etapa Outono do Circuito da Estações. Consegui correr no máximo uma distância de duzentos metros. Logo em seguida tinha que retornar para o trote.

Passei a aumentar aos poucos a distância que percorria correndo. Completei o percurso em 1 hora, 18 min e 38 seg.

No percurso de 10 km da Meia Maratona Ecológica de Curitiba percebi que estava melhor psicologicamente. Consegui manter o ritmo de corrida em uma distância maior. Também tinha recuperado a condição de alternar o trote com a corrida.

Percorri os dez quilômetros e 1 hora, 17 min e 05 seg, tempo que passou a ser o meu novo recorde para a distância.

Na semana seguinte participei da Corrida do BPTRAN e logo no início percebi uma melhora significativa. Mantive o ritmo de corrida por cerca de dois quilômetros. Enfim tinha perdido o medo de correr e sofrer uma nova queda.

Terminei a prova no tempo de 1 hora, 16 min 10 seg correndo na chuva durante a maior parte do tempo.

No final de maio corri a Stadium Marathon desta vez em um percurso de 12 km com direito a passar pelos estádios Antonio Couto Pereira, Durival Brito e Silva e Joaquim Américo Guimarães. Terminei a prova em 1 hora, 33 min e 02 seg.

Para encerrar o primeiro semestre do ano corri duas provas em junho. A primeira delas foi a Corrida do Artilheiro, ocasião em que tive um bom desempenho durante o percurso de 10 km. Terminei a prova em 1 hora, 16 min e 18 seg.

A outra prova do mês foi a segunda etapa do Circuito da Prefeitura. Devido ao grande número de participantes não tive condições de manter um bom ritmo de corrida. Completei os 10 km e 1h, 19 min e 30 seg.