Um ano de trabalho remoto

Um ano de trabalho remoto

No dia vinte de março de 2020 pouco antes do meio-dia fui comunicado de que deveria assinar uma declaração informando que morava com pessoa do grupo de risco.

Assinei a declaração e registrei a minha saída. Foi tudo muito rápido, me despedi rapidamente de cerca de cinco colegas.

O meu trabalho passaria a ser realizado remotamente a partir de casa. Assim tive acesso ao meu computador e ao meu telefone. A comunicações com os colegas passou a ser realizada por mensagens de texto ou chamadas de áudio.

As reuniões da equipe passaram a ser realizadas por vídeo conferência. Uma oportunidade que os colegas tinham se verem por alguns instantes.

Onde montar o meu espaço de trabalho? Sem dúvida esta foi uma das primeiras perguntas que cada um fez ao ter que trabalhar em casa. Mesa, cadeira, iluminação, acesso a internet, etc. Particularmente não tive dificuldades pois em casa tenho mesa e cadeira adequados. No entanto, sei de muita gente que está trabalhando de maneira improvisada.

Em um primeiro momento todos pensavam que depois de algumas semanas poderiam retornar para o trabalho presencial. O uso de máscara, de álcool gel, o distanciamento social, pandemia, UTI, coronavírus, COVID19 e outros tantos termos passaram a fazer parte do nosso dia-a-dia.

Reservei um momento do meu dia para me exercitar. Em um espaço de cerca de trinta metros eu conseguia fazer um trote bem leve. Era diferente do ritmo que estava acostumado a correr na rua, mas pelo menos me mantinha ativo fisicamente.

Um ano se passou. Estamos vivendo um momento muito complicado com UTIs lotadas e aumento do número de mortes. Continuamos nos protegendo e aguardando a vez de tomar a vacina.