TÚNEL DO TEMPO: FEVEREIRO DE 2019

TÚNEL DO TEMPO: FEVEREIRO DE 2019

03/02 – CIRCUITO MUNDIAL ITÁLIA

Tive a oportunidade de participar da primeira das três etapas de um circuito promovido pela TIMERACE em Curitiba.

Cada uma tem o nome de um país: Itália, Espanha e Grécia com o mesmo percurso. Devo admitir que fiquei em dúvida se me inscrevia na prova, pois não conhecia a empresa organizadora do circuito.

O que pesou na minha decisão foi o local de largada: em frente do Estádio Joaquim Américo. Me inscrevi ma prova de cinco quilômetros.

Não planejei tempo para completar percurso. Como fiz uma doação de sangue no sábado não sabia como meu organismo iria reagir durante a corrida.

Completei o primeiro quilômetro em 5:28 mas na sequencia tive que seguir em um ritmo mais lento nos quilômetros seguintes.

Comecei a acelerar quando passei da marca de 4 km. Fechei os 5 km com o tempo de 38:13. Diante das circunstâncias fiquei satisfeito com o resultado.

Gosto muito do momento pós-prova pois encontro várias pessoas com as quais posso compartilhar uma energia muito boa.

 

10/02 – MEIA DE CURITA

No segundo domingo de fevereiro aconteceu a primeira meia maratona de 2019 em Curitiba. Batizada de Meia de Curita pela Globalvita ela teve como local de largada e chegada a Praça do Atlético.

A corrida contou com as provas de 5, 10 e 21 KM. A largada dos 21 km aconteceu às 6:30, um horário diferente da maioria das corridas.

Pois é, largamos antes mesmo do dia amanhecer. O meu plano inicial era de concluir a prova em pouco menos de três horas. Fiz uma boa largada e no primeiro quilômetro mantive um ritmo que me permitiria cumprir o que havia planejado.

No entanto, no km 2 passei por uma corredora que estava num ritmo mais lento que o meu e ela comentou que estava com problema no joelho.

No mesmo instante alterei o meu plano e decidi que iria acompanhá-la até o final. Seguimos alternando a caminhada com o trote e uma corrida leve, sempre respeitando o joelho.

Mais adiante encontramos uma corredora da prova de 10 km mas que acabou no percurso dos 21 km. Era possível notar o seu nervosismo mas aos poucos fomos acalmando ela e passando um pouco da nossa energia positiva.

A cada placa mostrando a distância era uma comemoração. Afinal de contas a cada passo dado estamos mais próximos do nosso objetivo. Nos postos de hidratação além da água recebemos a energia incrível dos escoteiros.

Estávamos conscientes de chegaríamos depois do tempo limite de três horas. O mais importante naquele momento era chegar bem.

Ao cruzarmos a linha de chegada compartilhamos a nossa energia num abraço. Foi uma corrida totalmente diferente daquela que eu planejei, mas posso dizer que foi muito emocionante e gratificante.

Esta foi a minha quinta Meia Maratona, cada uma teve os seus momentos, as suas emoções e as suas lembranças. Com certeza a corrida de hoje será lembrada com muito carinho.

 

Norman Bitner

Nascido em Curitiba - PR. Administrador, bancário, atleticano, corredor de rua, canhoto.