Angelina Jolie

JOLIE FALA SOBRE WITHOUT BLOOD PARA A VARIETY

Nesta quarta-feira, dia 24 de Agosto de 2022, o site oficial da revista estadunidense, “Variety”, publicou uma entrevista exclusiva com nossa musa inspiradora – Angelina Jolie – através da qual a cineasta falou sobre seu mais novo filme, “Without Blood”. Confira o artigo traduzido na íntegra pelo Angelina Jolie Brasil!

Escrito por Nick Vivarelli

Quando Angelina Jolie leu o livro de Alessandro Baricco “Without Blood” (Sem Sangue, em tradução livre não oficial) – que se transformou na base do seu próximo trabalho como diretora – um romance italiano que trata sobre a brutalidade da guerra e a cura de suas consequências, a obra surtiu um efeito terapêutico imediato.

“Eu li este livro bem no momento de quando estava passando pelo início de um período muito sombrio da minha vida. Li no mês subsequente ao meu último divórcio [de Brad Pitt em 2016]”, lembrou Jolie, que filmou a adaptação da obra nos estúdios Cinecittà em Roma.

“O livro teve um grande impacto em mim, assim como em tantas outras pessoas”, disse Jolie observando que, a sinopse na capa, diz que o livro aborda temas sobre a complexidade da condição humana.

“Eu não entendi isso quando li pela primeira vez. Eu só sabia que o livro tinha gerado um efeito profundo em mim. Acho que esta é uma daquelas obras de arte que surgem da intuição e da mente de alguém, com a finalidade de destacar coisas e que trás muitas verdades sobre quem somos como pessoas,” disse ela.

Ela conversou com a “Variety” durante as filmagens do longa em um ambiente sonoro bastante movimentado, onde uma cena importante, que ocorre após um tiroteio em uma casa de fazenda isolada, estava sendo montada.

Ironicamente, para um filme que recebeu o título de “Sem Sangue”, o piso de madeira da casa de fazenda construído nos estúdios Cinecittà estava coberto de sangue e de estojos de arma de fogo. Os toques finais estavam sendo dados a um boneco caído no chão com ferimentos de tiros. “Um toque ocidental?” disse Jolie, sobre o tom escolhido para o filme. “Nós abraçamos essa ideia.”

“Nós amamos cadáveres; definitivamente temos cadáveres neste filme”, disse o designer de produção ganhador do Emmy, Jon Hutman, que se lembrou de conhecer Jolie em 2010, na cidade de Veneza, nos sets de gravações de “O Turista”, dirigido por Florian Henckel von Donnersmarck. Ele trabalhou em quatro dos cinco filmes da cineasta desde então.

“Ter muitos tiroteios em um filme significa que temos que ter vários figurinos iguais”, disse a figurinista Ursula Patzak, acrescentando que a principal referência visual que ela recebeu de Jolie foi de “O Poderoso Chefão”, que “possui muitos figurinos em preto e branco.” A paleta de cores dos figurinos do filme é sóbria porque “muita cor faz distrair da narrativa, da história e dos atores”.

“O primeiro filme que eu dirigi foi sobre a guerra nos Bálcãs”, lembrou Jolie de “Na Terra de Amor e Ódio” (In the Land of Blood and Honey), lançado no ano de 2011, dizendo que escreveu o roteiro “tentando entender” como pessoas que se amam podem se voltar umas contra as outras. “Como é que no início do filme eles se amam e no final do filme eles estão se matando? O filme é um estudo de como isso acontece,” disse ela.

Mas “Sem Sangue” – cuja história é contada através de uma série de flashbacks – é uma obra mais complexa sobre violência, guerra e escolhas. “Este filme aborda questões diferentes; não existe claramente o bem e o mal neste filme, mesmo que haja um comportamento claramente ruim, horrível, tenebroso e criminoso.”

(Esta entrevista foi realizada antes de um relatório do FBI de 2016 vazar na semana passada, através do qual Jolie alegou que Pitt lhe agrediu durante uma viagem de avião, levando ao divórcio.)

Ter a condição humana como tema principal contribuiu por uma narrativa diferenciada no livro, obra pela qual Jolie pessoalmente peticionou pelos direitos. “O livro é bastante extraordinário. Baricco dá, a quase todos os personagens, uma memória, uma história e muitas texturas. Então é quase impossível ver onde um termina e o outro começa,” disse ela.

O romance de Baricco se passa em um lugar sem nome com ares do México e em um tempo não especificado, embora o filme abranja as décadas de 1920 a 1970.

A história gira em torno de Nina, personagem interpretada por Salma Hayek, que, quando jovem, testemunha uma carnificina infligida pelos inimigos de seu pai, contra seu pai e contra seu irmão. Ela consegue escapar escondendo-se sob o chão da casa de fazenda que pertencia à família e, embora um dos assassinos, um homem chamado Tito (Demián Bichir), a veja, ele decide ficar quieto. Muitos anos depois, eles estarão destinados a se reencontrar.

Depois de ler o livro, Jolie se encontrou com Baricco e escreveu o roteiro. Mas somente seis anos depois, após se reunir com os principais executivos da produtora “Fremantle” e com Lorenzo De Maio, que ela conseguiu trazer esse projeto querido para às telonas.

“Eles adoraram o material e então o projeto realmente surgiu. “Eu mal conseguia acreditar, pois eles não fazem muitos filmes como este hoje em dia,” disse ela.

No início deste ano, Jolie assinou um contrato de três anos com “Fremantle” e “Sem Sangue” foi o primeiro projeto que surgiu após esse pacto. Lorenzo De Maio chamou a situação de “uma grande oportunidade para nós”.

Andrea Scrosati, CEO da “Fremantle” na Europa continental, ressaltou que apenas um mês após a assinatura do acordo com Jolie, “Sem Sangue” já estava em pré-produção, totalmente financiada pela “Fremantle”, que vem dando um grande impulso ao projeto. O orçamento, que é alto para a Europa continental, está sendo mantido em sigilo.

O elenco do filme foi formado “muito rápida e organicamente”, disse De Maio. Isso aconteceu graças ao relacionamento próximo de Jolie com sua co-estrela de “Eternos”, Salma Hayek, e também porque Bichir estrelou uma peça de teatro escrita por Baricco, lançada no México, e porque o escritor mantem o ator em alta estima.

“A maioria do elenco é formada por mexicanos que falam com sotaque mexicano”, disse Jolie, que chamou o filme de “híbrido” em termos de nacionalidades e gêneros.

Ela ficou feliz em filmar “Sem Sangue” nos estúdios Cinecittà, com os quais a produtora “Fremantle” tem um contrato de aluguel de longo prazo, assim como também em outros locais italianos, incluindo a antiga cidade de Matera, no sul da Itália – onde foi gravada a cena de perseguição de carro que aparece na abertura no filme “007 – Sem Tempo para Morrer”; incluindo a região adjacente de Puglia, “o cenário favorito de Angie”, segundo Jon Hutman, onde filmaram o hospital que trabalhava o pai de Nina, um médico; incluindo também Procoio, uma propriedade localizada a oeste de Roma, onde foi encontrada uma casa de fazenda perfeita para a cena de abertura do filme.

Várias pinturas de Andrew Wyeth serviram como referência visual para a cena da casa de fazenda, disse Hutman, ressaltando que “além da tonalidade original da casa, muitos tons de branco desbotado e de madeiras naturais aparecem ao longo do filme.”

Uma cena climática muito próxima do final de “Sem Sangue”, na qual Nina e Tito se reencontram em um café, foi filmada à noite na Piazza della Repubblica, no centro de Roma, com a finalidade de capturar o café e depois retrabalhada nos estúdios “Cinecittà” com a utilização de uma gigante parede de LED.

Agora, o plano é que “Sem Sangue” – que está sendo editado em Los Angeles – seja concluído no segundo semestre de 2023. Quanto aos temas que o filme aborda sobre guerra, vingança e perdão, Jolie disse: “A realidade dessas guerras sem fim que vivemos, me ajudou a olhar para a violência, para o trauma e para a vingança de maneiras muito diferentes e não existe uma resposta fácil.”.

FONTE: VARIETY

Angelina Jolie Brasil

Norman Bitner
Nascido em Curitiba - PR. Administrador, bancário, atleticano, corredor de rua, canhoto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.