Retrospectiva 2019 – 1º semestre

JANEIRO

O primeiro mês do ano foi marcado por duas corridas: a Corrida da Ponte por ser realizada perto da minha casa e a Batel Run por acontecer em um local que fez parte da minha infância.

FEVEREIRO

A primeira prova do mês foi o Circuito Mundial Itália, que teve como local de largada e chegada a frente do Estádio Joaquim Américo.

No domingo seguinte participei da Meia de Curita, a prova mais esperada do semestre. O objetivo era concluir a prova em menos de três horas.

Mas o destino me reservou um surpresa logo no início do percurso. No meu caminho encontrei duas corredoras que seguiam em um ritmo muito lento.

Abandonei a minha estratégia de corrida e decidi que levaria as duas até o final. Seguimos alternando caminhada com trote. Na linha de chegada comemoramos juntos. Foi então que uma delas olhou para mim e disse “Muito obrigado por ter me ajudado a não desistir”.

Para finalizar o mês participei da prova de 8 KM da CORRIDA VERDE, em cujo percursos estavam os parques Tanguá, Tingui e Barigui.

MARÇO

Participei de três corridas de dez quilômetros: BPTRAN, FURACÃO RUNNERS e CIRCUITO DAS ESTAÇÕES OUTONO.

A mais emocionante delas foi a FURACÃO RUNNERS, pois foi realizada em comemoração ao 95º aniversário do Atlético Paranaense. Os últimos metros do percurso foram percorridos dentro do Estádio Joaquim Américo.

ABRIL

O mês foi marcado pelos 10 KM da 1º Etapa da SMELJ (Secretaria Municipal do Esportr Lazer e Juventude) e pelos 5 KM da Corrida do Pequeno Príncipe.

A SMELJ organiza o Circuito Adulto de Corridas de Rua de Curitiba. São quatro etapas que contam com a participação de um grande número de corredores pelo fato de as inscrições gratuitas.

Uma parte do percurso da prova passou por dentro do Zoológico de Curitiba e os corredores tiveram a oportunidade de ver diversos animais. Completei os 10 KM em 1h 22 min 22 seg.

A corrida do Pequeno Príncipe é tradicional em Curitiba. A renda obtida com as inscrições é revertida para o Hospital Infantil Pequeno Príncipe, uma referência em Pediatria.

MAIO
O mês começou com uma das provas mais esperada do ano. Corri os 5 KM do SENNA DAY FESTIVAL, evento realizado no Autódromo de Interlagos para marcar os vinte e cinco anos do legado do Ayrton Senna.

Alguns minutos antes da largada o meu coração estava acelerado. O meu frequencímetro marcava 110 BPM. Os corredores cantando Olê, Olê, Olê, Senna, Senna.

Foi uma oportunidade de correr na pista de Interlagos e homenagear o meu ídolo. Curti cada metro de asfalto, cada curva e pude sentir a energia da pista em que o Senna proporcionou tantas alegrias .

No primeiro do mês participei da MEIA MARATONA INTERNACIONAL DE CURITIBA. Um ano depois eu voltei ao local para enfrentar novamente os vinte e um quilômetros.

O meu grande desafio era fazer uma meia maratona diferente daquela de 2018. Não planejei um tempo para completar o percurso. Decidi seguir em um ritmo tranquilo e confortável. Desde o início fui me preservando para enfrentar os trechos mais complicados.

Para me incentivar desde o momento da largada ouvi o Tema da Vitória, música que marcou as conquistas do meu ídolo Ayrton Senna. Quando faltavam cerca de quinhentos metros senti algumas dores na panturrilha esquerda e depois na direita.

Respirei fundo e lembrei da última volta do Senna no GP do Brasil de 1991 apenas com a sexta marcha. Quando entrei na reta de chegada percebi várias pessoas aplaudindo e me incentivando. Ouvindo o Tema da Vitória fui com muito cuidado e com passos lentos. Neste momento o choro foi inevitável.

Terminei com o tempo de três horas e sete minutos. Não completei os vinte e um quilômetros em menos do que três horas. Mas o importante que consegui superar a lembrança do sofrimento da prova de 2018.

Para encerrar o mês de maio corri a prova de 5 KM da Casa Militar, órgão de assessoramento e apoio ao Governo do Estado do Paraná. O local da largada foi o Palácio Iguaçu, sede do Governo do Estado.

Completei o percurso em 36 min 48 seg. Fiquei muito contente com o resultado. O frio não atrapalhou a minha corrida. Serviu de preparação para as condições climáticas que enfrentarei no mês de junho.

JUNHO

O mês iniciou com a 2ª Etapa SMELJ, que foi realizada em um percurso diferente dos habituais. Larguei com tranquilidade e fui me preparando para as subidas que teria que enfrentar mais adiante.

Passei a linha de chegada com o tempo de 1:23:35″. Fiquei muito satisfeito com o resultado alcançado diante das dificuldades enfrentadas no percurso.

No domingo seguinte participei da INCLUSIVE CORRENDO, uma corrida que tinha por finalidade incluir as pessoas com necessidades especiais no mundo da corrida de rua.

No caminho passei por corredores deficientes visuais e cadeirantes, aproveitei para transmitir para eles a minha energia positiva.

Cruzei a linha de chegada com o tempo de 37 min 56 seg e fiquei muito satisfeito com o resultado.

Para finalizar o primeiro semestre do ano participei da tradicional prova 15 KM DE SANTA realizada no bairro italiano de Santa Felicidade.

Perto do km 5 encontrei duas corredoras que estavam um um ritmo mais lento que o meu. Abandonei a ideia de correr pelo recorde pessoal.

Dali em diante acompanharia aquelas duas jovens corredoras até a linha de chegada. Seguimos alternando a caminhada com a corrida, conversando e compartilhando a nossa energia.

Terminei com o tempo de 02 h 17 min. Não bati o meu recorde mas me senti extremamente contente por ter compartilhado a minha energia positiva.

xxxxxxxxxxxxxx

A partir de então a minha maior expectativa passou a ser em relação ao SENNA DAY, um evento no Autódromo de Interlagos para marcar os vinte e cinco anos do Ayrton Senna.

Foi uma oportunidade de correr na pista de Interlagos e homenagear o meu ídolo. Em nenhum momento me preocupei com o meu ritmo, pois queria curtir cada metro de asfalto, cada curva e sentir a energia da pista em que o Senna proporcionou tantas alegrias .

Para finalizar o semestre participei dos 15 KM DE TANTA FELICIDADE, uma corrida realizada no tradicional bairro italiano de Curitiba.

DATAKMTEMPOCORRIDA
20/01/191001:16:38CORRIDA DA PONTE
27/01/191001:14:09BATEL RUN
03/02/190500:38:13CIRCUITO MUNDIAL ITALIA
10/02/192103:18:52MEIA DE CURITA
24/02/190801:03:34CORRIDA VERDE
17/03/191001:16:05BPTRAN
24/03/191001:18:15FURACÃO RUNNERS
31/03/191001:19:57ESTAÇÕES OUTONO
07/04/191001:22:221ª ETAPA SMELJ
14/04/190500:37:43PEQUENO PRÍNCIPE
01/05/190500:39:45SENNA DAY
05/05/192103:07:18MEIA MARATONA INTERNACIONAL DE CURITIBA
26/05/190500:36:54CASA MILITAR
02/06/191001:23:562º ETAPA SMELJ
09/06/190500:37:29INCLUSIVE
16/06/191502:17:3315 KM SANTA FELICIDADE

Corrida do Tingui

Hoje tive a oportunidade de de participar da minha última corrida do ano. Fiz a prova de 5 km da Corrida do Tingui, que é marcada pelas subidas.

Poucos minutos antes da largada alguém me chamou. Quando olhei percebi que eram duas corredoras, uma delas que eu tinha ajudado na Meia de Curita em fevereiro. Conversamos por alguns instantes e compartilhamos a nossa energia positiva.

Sabendo das dificuldades que enfrentaria durante o percurso decidi correr em um ritmo bem lento. Comecei a acelerar o ritmo das minhas passadas quando iniciei o quinto quilômetro.

Como o último quilômetro seria todo em descida fui me controlando. Quando me aproximei do pórtico de chegada respirei fundo, me concentrei e acelerei. Completei o percurso em 42:29, um tempo bem acima do que estou acostumado a fazer em provas de 5 km.

Mas o tempo de conclusão era o que menos importava. O mais importante era comemorar mais um corrida terminada.

Mais uma temporada temporada encerrada. No total foram trinta corridas durante o ano. Enfrentei desafios, superei dificuldades, formei novas amizades, em duas corridas abandonei a minha estratégia de corrida para ajudar corredoras e após cruzar a linha de chegada me emocionei com o agradecimento.

A minha primeira prova em 2020 será a Corrida da Ponte no dia dezenove de janeiro.

CIRCUITO DAS ESTAÇÕES VERÃO 2019

Para iniciar a mês de dezembro corri a Etapa Verão do Circuito das Estações, com largada em frente ao Shopping Mueller.
Tão logo cheguei no local do evento tive a oportunidade de encontrar várias pessoas conhecidas com as quais conversei por alguns instantes.

Larguei com tranquilidade e fui procurando espaço para seguir em um ritmo confortável. Sabia que mais adiante teria que enfrentar algumas subidas.

Comecei a acelerar as minhas passadas depois de passar pela placa dos 8 km. Cruzei a linha de chegada com o tempo de 01:22:40.

Fiquei muito contente em completar mais uma corrida. Assim finalizei o meu sétimo Circuito das Estações.

Vou finalizar a minha temporada com uma corrida noturna de 5 KM no próximo dia sete de dezembro.

Maratona de Curitiba 2019

Neste domingo tive a oportunidade de participar da prova de 10 km da Maratona de Curitiba.

Larguei com calma e procurei controlar a minha frequencia cardíaca.

Como não estava preocupado com o tempo final segui em um ritmo tranquilo e acelerei um pouco quando entrei no último quilômetro.

Completei o percurso com o tempo de 01 h 21 min 06 seg. Ao cruzar a linha de chegada ouvi o locutor gritar Ayrton, Ayrton, Ayrton Senna do Brasil e chorei de emoção. Com esta corrida atingi a marca de 821,40 km percorridos em 2019.

Depois de pegar a minha medalha e me hidratar bastante fui acompanhar a chegada dos maratonistas. Sem dúvida foi um momento de muitas emoções ver os corredores chegando exaustos.

A minha próxima corrida será a de dez quilômetro da etapa Verão do Circuito da Estações.

A meta dos 800 km foi atingida, agora o que vem pela frente é só diversão. Vou tentar chegar o mais próximo dos 900 km.

Circuito Banco do Brasil de Corrida Etapa Florianópolis

No dia 27 de outubro participei da Etapa Florianópolis do Circuito Banco do Brasil de Corrida.

Cheguei na arena do evento com bastante antecedência. Aproveitei e fiz a minha bioimpedância, um procedimento que mede a composição corporal através da aplicação de uma suave e indolor corrente elétrica no copo. A corrente circula livremente pelo líquido do tecido muscular, mas encontra resistência do tecido adiposo, que é a gordura.

Com o passar do tempo os corredores foram chegando e percebi que o locutor do evento era meu conhecido das corridas em Curitiba.

Alguns minutos depois chegaram os atletas Marílson dos Santos (três vezes vencedor da São Silvestre e duas vezes da Maratona de Nova York) e Maurício Lima (bicampeão olímpico em Barcelona 92 e Atenas 2004 com a Seleção de Vôlei).

Faltando cerca de dez minutos para a largada iniciei o meu ritual de concentração. O meu objetivo era percorrer os dez quilômetros em um tempo próximo de uma hora e quinze minutos.

Logo nos primeiros quilômetros procurei realizar algumas ultrapassagens e mantive um bom ritmo de corrida.

Por causa de uma garoa fina tive que reduzir um pouco o meu ritmo. Mas a cada quilômetro percorrido fui controlando o meu tempo.

A chuva aumentou e eu coloquei em primeiro lugar a minha segurança. Mas mesmo em um ritmo lento segui em condições de completar a prova no tempo planejado.

Ao passar pela placa que marcava os 8 KM o meu relógio indicava o tempo de 01:00:59. Acelerei as minhas passadas e mantive o meu foco. Quando passei pela placa de 9 KM o relógio mostrava 1:08:30. Respirei fundo e continuei acelerando.

Cruzei a linha de chegada com o tempo de 01:15:05. Depois de pegar a minha medalha e as frutas entrei na fila para tirar foto com o Marílson e o Maurício.

Foi gratificante conhecer estes atletas que representaram muito bem o Brasil.

Com a corrida deste domingo ultrapassei a marca dos oitocentos quilômetros percorridos em 2019. Assim venci com dois meses de antecedência a distância planejada.

4ª CORRIDA DO FOGO

No domingo tive a oportunidade de participar da quarta edição da Corrida do Fogo, em comemoração ao aniversário de 107 anos do Corpo de Bombeiros do Paraná.

A novidade ficou por conta do novo percurso, muito diferente daquele dos anos anteriores. Desta vez a largada foi no 1º Grupamento do Corpo de Bombeiros – Posto Portão.

Cheguei com bastante antecedência no local e me deparei com a viatura AUTO ESCADA MECÂNICA – AEM com a bandeira do Brasil.

A possibilidade de chuva gerou uma certa preocupação. Mas apesar do céu cinzento a temperatura estava agradável para correr. Sabia que seria difícil bater o meu recorde pessoal de 01:10:46, na 1ª Corrida do Fogo.

A minha estratégia era manter um ritmo confortável e aproveitar as descidas do percurso. Cheguei na marca dos 5 km com o tempo de 35:03.

No entanto, a segunda parte da corrida foi complicada e a possibilidade de recorde foi ficando cada vez mais longe. Perto da marca dos 8 KM começaram a cair os primeiros pingos de chuva.

Um pouco mais adiante a chuva ficou mais forte. Naquele momento a minha segurança era mais importante do que qualquer outra coisa. O asfalto molhado e as inúmeras poças d’água tornaram o último quilômetro muito perigoso.

A minha segurança era muito mais importante do que o recorde. Segui adiante com um ritmo mais lento. O objetivo era terminar antes de 1:20.

Segui em um ritmo lento até pouco menos de cinquenta metros da chegada, quando então acelerei as minhas passadas. Completei a prova com o tempo de 1:18:23.

Fiquei muito contente por ter encontrado muitas pessoas com energia positiva e ter completado mais uma corrida.

Com esta corrida cheguei na marca de 740 KM no ano. Estou cada vez mais perto do meu objetivo de 800 KM.

O meu próximo desafio será a prova de 10 KM na Etapa Florianópolis do Circuito Banco do Brasil.

15ª Caminhada do Coração

A Caminhada do Coração é um evento realizado pelo Hospital Cardiológico Constantini desde o ano de 2005 com a finalidade de de estimular a população a praticar mais atividades físicas, além de prevenir os riscos do sedentarismo, como as doenças cardiovasculares.

Em 2011 tive a oportunidade de participar da 7ª Caminhada do Coração.Foi uma experiência muito gratificante.

Em 2019 a caminhada chegou a sua 15ª edição. Cheguei cerca de uma hora antes para garantir a minha camiseta. Às nove horas o evento foi aberto pelo cardiologista Dr. Constantino Constantini.

Depois de alguns minutos de alongamento a partiu em ritmo lento em direção ao Parque Barigui. No caminho tive a oportunidade de encontrar com o Dr. Constantini e tirar um foto com ele.

Chegamos ao nosso destino cerca de uma hora depois. Durante a caminhada conversei com várias pessoas e compartilhei muita energia positiva.

Sem dúvida o ritmo deste domingo foi muito diferente daquele que estou acostumado. Mas posso dizer que foi uma experiência muito emocionante e gratificante.

O momento mais emocionante foi conhecer uma jovem de noventa e quatro anos de idade que participou da caminhada do início ao fim.

Fiquei muito feliz de ter participado de mais uma Caminhada do Coração e chegar aos 717 km percorridos em 2019.

Em outubro estarei em férias e poderei realizar mais treinos. Tenho programadas a Corrida do Fogo e a etapa Florianópolis do Circuito Banco do Brasil, ambas de 10 km.

Oito anos longe do sedentarismo

No dia 18 de setembro de 2011 resolvi fazer uma caminhada nas ruas próximas da minha casa. Defini como tempo uma hora por dia.

Percorri a distância de 6,84 km. No dia seguinte caminhei em um ritmo mais rápido e percorri 7,69 km em uma hora.

A caminhada passou a ser um hábito e com o passar do tempo percebi a melhora do meu condicionamento.

Em agosto de 2012 tive a oportunidade de participar da minha corrida de rua. Sem dúvida foi uma experiência completamente diferente, pois até então estava acostumado a caminhar e a trotar.

Cruzei a linha de chegada ofegante mas consegui completar o percurso de cinco quilômetros em pouco menos de quarenta minutos.

As caminhadas diárias continuaram, mas alternadas com um pouco de trote e corrida. O condicionamento físico foi melhorando e no mês de novembro participei da minha segunda corrida.

Durante o ano de 2013 participei de várias corridas de 5 km. Acordar cedo nos domingos passou a ser algo normal para mim.

Cada corrida um percurso diferente pelas ruas de Curitiba, com subidas, descidas e muitos desafios. Algumas corridas foram tranquilas e outras bastante desafiadoras.

A evolução foi natural, aprendi a controlar o meu ritmo ao longo do percurso e fui melhorando o meu condicionamento. Além de proporcionar uma melhora na qualidade de vida a prática da corrida nos permite formar amizades.

Permaneci por um bom tempo na zona de conforto dos 5 km. Foi então que em 2016 resolvi enfrentar as corridas de 10 km. Demorei um pouco para me adaptar a nova distância.

Em 2017 em duas oportunidades enfrentei os 21 km da Meia Maratona. Foram provas desgastantes mas posso dizer que aprendi bastante em cada quilômetro percorrido.

No início de 2018 estabeleci como desafio percorrer a distância de 600 km até o fim do ano. Participei de corridas de 5, 10, 15 e 21 km e alcancei a marca estabelecida no final de outubro.

O mês de novembro marcou a minha primeira corrida fora de Curitiba. Fui até Brasília correr a prova de 10 km do Circuito Banco do Brasil.

Para o ano de 2019 uma nova meta foi estabelecida. Desta vez o desafio é percorrer a distância de 800 km até trinta e um de dezembro.

Posso dizer que nestes oito anos longe do sedentarismo formei muitas amizades, reencontrei algumas pessoas que eu não via há anos e que também fazem parte do emocionante e fascinante mundo das corridas .

Sem dúvida um dos melhores momentos que vivi foi quando após cruzar a linha de chegada uma corredora me disse “Muito obrigado por ter me ajudado a não desistir”.

Receber este tipo de reconhecimento é muito gratificante. Hoje depois de tantos anos no mundo das corridas de rua procuro sempre incentivar as pessoas a deixarem o sedentarismo de lado e começarem a praticar uma atividade física.

CIRCUITO DAS ESTAÇÕES PRIMAVERA 2019

A corrida desde domingo foi muito significativa para mim. Primeiramente por ser a minha corrida de número 150 desde que entrei para o mundo das corridas de rua.

O local de largada e o percurso eram os mesmo da etapa Inverno realizada no início do mês de julho. No entanto, as condições climáticas eram completamente diferentes daquela ocasião.

Com uma temperatura agradável para correr planejei completar os dez quilômetros em um tempo abaixo de uma hora e vinte minutos.

Segui em frente controlando o meu ritmo. Quando passei pela placa que marcava os 9 KM olhei rapidamente para o meu relógio e notei que teria condições de completar a prova no tempo pretendido.

Acelerei o ritmo das minhas passadas, respirei fundo em direção ao pórtico de chegada. Nos 100 metros finais recebi muito incentivo.

Assim que cruzei a linha de chegada travei o meu cronômetro mas só fui ver o meu tempo alguns instantes depois. Completei o percurso de dez quilômetros em 1 hora, 19 minutos e 05 segundos.

Além de atingir o objetivo estabelecido consegui o meu melhor tempo no Circuito das Estações em 2019.

A meta de 800 km estabelecida no início do ano está cada vez mais perto. Faltam 138,07 KM para alcançar o número mágico.

No dia dezoito de setembro vou completar oito anos que deixei o sedentarismo de lado ao decidir caminhar diariamente nas ruas próximas da minha casa.

Menos de um ano depois tive a oportunidade de conhecer o maravilhoso e emocionante mundo das corridas de rua. Desde então enfrentei inúmeros desafios, superei os meus limites e formei muitas amizades.


PUC NIGHT RUN

Tive a oportunidade de participar da primeira edição da PUC NIGHT RUN, corrida realizada em comemoração aos 60 anos da PUC-PR.

O percurso das provas de 5 e de 10 km foi nas ruas próximas do campus da PUC. Por se tratar de uma corrida noturna não planejei o tempo para concluir os cinco quilômetros.

Larguei com muito cuidado mas desde o início procurei fazer ultrapassagens para conseguir manter um bom ritmo de corrida.

Com a lanterna eu tinha cerca de dois metros bem iluminados na minha frente. Isto com certeza me ajudou bastante.

Aliviei um pouco o ritmo no segundo quilômetro e logo em seguida comecei a acelerar as minhas passadas.

Completei o percurso no tempo de 36:33 que para a minha surpresa foi o meu melhor tempo em corridas noturnas.

Fiquei muito contente com o resultado alcançado afinal de contas não costumo de participar de corridas noturnas. Em sete anos de corrida de rua esta foi a minha sétima prova noturna.

Atingi a distância de 636 km percorridos em 2019 e estou cada vez mais perto da minha meta de 800 km.