Reflexões

Reflexões

O ano de 2016 está chegando ao seu final e este é o momento de fazermos uma breve parada na nossa caminhada para uma breve reflexão sobre o que enfrentamos ao longo dos últimos doze meses.

Ao iniciarmos um novo ano nas nossas vidas desejamos tudo de bom, que as alegrias sejam sempre em maior número que as tristezas e os sonhos se tornem realidade.

Iniciei o meu ano com o desafio de completar uma corrida de dez quilômetros. Até então estava acostumado a correr provas de cinco quilômetros. No começo foi complicado mas aos poucos fui me acostumando com a nova distância.

Completei a minha primeira prova em uma hora e dezenove minutos e defini que chegaria ao final de 2016 percorrendo esta distância em um tempo de uma hora e dez minutos.

No final do mês de março sofri uma queda e fraturei o ombro. Junto com a fratura uma bursite que me obrigou a ter que enfrentar um tratamento de fisioterapia durante algumas semanas.

Nas sessões de fisioterapia tive a oportunidade de conhecer pessoas com os mais diversos problemas, alguns bem mais complicados que o meu. Por causa da fratura passei a ter medo de correr, sofrer uma nova queda e me machucar com gravidade. Demorei um pouco para recuperar a minha confiança e voltar a correr. Sabia que neste momento a paciência seria muito importante.

Nas minhas férias em setembro viajei para Minas Gerais e conheci as belezas das cidades históricas  de Sabará, Congonhas, Ouro Preto e Mariana.  Nos passeios tive a oportunidade de interagir com turistas das mais diversas partes do Brasil.

No dia doze de outubro participei da 1ª Corrida do Fogo, em comemoração ao aniversário do Corpo de Bombeiros do Paraná. Na ocasião completei os dez quilômetros em uma hora, dez minutos e quarenta e seis segundos, que passou a ser o meu recorde pessoal para a distância.

Nos meses seguintes participei de outras provas mas não melhorei o meu tempo. No entanto, não fiquei chateado pois já tinha atingido o meu objetivo de percorrer os dez quilômetros em uma hora e dez minutos.

No meu local de trabalho enfrentei mudanças com novas atividades que resultaram na aquisição de novos conhecimentos. Neste período de aprendizado estou compartilhando os meus conhecimentos e ajudando os meus colegas.

Analisando o que enfrentei ao longo de 2016 posso dizer que as alegrias foram em maior número que as tristezas. As emoções das surpresas foram muito superiores em relação às decepções que tive.

Com a chegada de 2017 desejamos que estejam sempre presentes em nossos dias a paz, o amor, a saúde, a solidariedade, o respeito e a tolerância.

Um grande abraço a todas as pessoas que ao longo de 2016 estiveram ao meu lado, alguns pessoalmente e outros virtualmente.

 

 

 

Norman Bitner

Nascido em Curitiba - PR. Administrador, bancário, atleticano, corredor de rua, canhoto.