Quatro vidas de um cachorro

Em meados de dezembro ao visitar uma livraria me deparei com um livro que tinha na sua capa a foto de um belo cachorro. Não pensei duas vezes para comprar Quatro vidas de um cachorro escrito por Bruce Cameron.

Trata-se da história de um cão que depois de renascer várias vezes imagina que que exista uma razão para o seu retorno. A cada capítulo lido aumentava a minha emoção e me lembrei dos cachorros que fizeram parte da minha vida. Não contive as lágrimas a cada lembrança.

Depois de ler o livro restou-me aguardar o lançamento do filme que foi inspirado do livro. A estreia aconteceu no final de janeiro. Sem dúvida a expectativa era como seriam as cenas do filme em relação ao que imaginei durante a leitura. Foram muitas emoções que provocaram o choro em quem estava assistindo. Chorei bastante depois da cena final.

Na semana seguinte fui assistir o filme novamente e mesmo tendo conhecimento das vidas do cachorro e o seu final vivi as mesmas emoções e chorei bastante.

Alguns dias antes da estreia um tabloide sensacionalista divulgou imagens das gravações e que mostravam maus tratos com um dos cães. O intuito era o de influenciar a opinião pública e incentivar um boicote.

Particularmente o primeiro questionamento que fiz foi porque as tais imagens foram divulgadas somente alguns dias antes da estreia do filme? se era um caso de maus tratos porque então não foi feita um denúncia na época em que foram gravadas?

Em nenhum momento acreditei na veracidade do vídeo, pois em cenas em que existe a participação de animais há toda uma equipe especializada. Há um acompanhamento antes, durante e depois das gravações.

Algumas pessoas foram influenciadas pelas imagens e desistiram de assistir o filme. Outras não sofreram nenhum tipo de influência. Cada um tem o direito de decidir se vai ou não ver o filme. Para quem não vai assistir Quatro vidas de um cachorro seja quais forem os motivos recomendo que leia o livro.

Todo cachorro existe por uma razão e o livro nos faz pensar nisto. Em muitos momentos me lembrei os cachorros que fizerem parte da minha vida: Lord, Kojak, Foggy I, Foggy II e Max.

Atualmente quem está junto a mim é o Shadow, um weimaraner que em breve vai completar quatro anos de idade.