26 ANOS SEM AYRTON SENNA

Para muitas pessoas o dia 1º de maio de 1994 não passa de uma data distante perdida no calendário.
 
Mas para milhares de outras pessoas espalhadas pelo mundo aquele dia jamais será esquecido. Um domingo muito triste que marcou a perda de um grande ídolo.
 
Vinte e seis anos se passaram e até hoje nos questionamos porque a carreira do nosso ídolo terminou naquela maldita curva Tamburello.
 
Inúmeras explicações foram apresentadas na tentativa de mostrar como tudo aconteceu.
 
Enfim, o ídolo se foi, mas ficou o mito.
 
Os domingos nunca mais foram os mesmos sem aquele piloto do capacete amarelo com uma lista azul e outra verde.
 
Perdi o interesse pela F1, surgiram outros pilotos vencedores e que conquistaram campeonatos, mas nenhum como o Senna.
 
Mesmo tantos anos depois o Ayrton Senna é admirado no mundo todo, inclusive por pessoas que sequer eram nascidas em 1994.
 
Particularmente preservo a memória do meu ídolo através da minha coleção de miniaturas, bem como do meu site AYRTON SENNA PARA SEMPRE.

No dia 1º de maio de 2019 participei do Senna Day, evento promovido pelo Instituto Ayrton Senna para marcar os vinte e cinco anos do legado do Ayrton Senna.

Corri a prova de cinco quilômetros no circuito de Interlagos. Mas esta foi uma corrida bem diferente daquelas que estou acostumado a participar nas ruas.

Em nenhum momento me preocupei em quanto tempo completaria o percurso. Aproveitei para admirar a vista e sentir a energia incrível.

Foi muito emocionante poder homenagear o meu ídolo na pista onde ele proporcionou muitas alegrias aos seus torcedores.

Em seguida visitei a exposição com inúmeros itens relacionados ao Senna.

Foi um dia que ficará guardado na minha memória.

 

Desde 2012 sou corredor de rua, uso o boné com as cores do capacete e me inspiro no Ayrton Senna quando enfrento dificuldades.

 

 

 

 

 

Valeu Ayrton!

Ayrton Senna para Sempre: 24 anos de saudades

Vinte e quatro anos se passaram desde aquele fatídico acidente na maldita curva Tamburello  no Autódromo Enzo e Dino Ferrari, em Ímola na Itália.

A mesma curva onde aconteceram os acidentes de Nelson Piquet em 1987 e de Gerhard Berger em 1989.

Ayrton Senna venceu o Grande Prêmio de San Marino nos anos de 1988, 1989 e 1991 pilotando o carro da McLaren.

É muito triste lembrar de tudo aquilo que aconteceu naquele final de semana. O acidente de Rubens Barrichello na sexta-feira, a morte de Roland Ratzemberger no sábado e a de Ayrton Senna no domingo.

A corrida seguinte foi realizada em Mônaco, onde Senna é o maior vencedor por ter conquistado seis vitórias, sendo cinco consecutivas.

A posição da pole ficou vazia e ali os pilotos fizeram uma homenagem momentos antes da largada.

Desde então perdi  o interesse pelas corridas. Acompanhava as primeiras voltas mas logo desligava a televisão. Também não escolhi nenhum piloto para torcer nos anos seguintes. Atualmente deixo a TV ligada mas não fico 100% concentrado na corrida como nos tempos em que Ayrton Senna nos brindava com as suas vitórias nas manhãs de domingo.

Ao longo do tempo foram criadas as mais diversas teorias para explicar como ocorreu o acidente que tirou a vida do Senna. Mas de que adianta tentar explicar o que aconteceu e apontar os culpados? Nada trará de volta o nosso ídolo que proporcionou muitas alegrias aos seus admiradores espalhados pelo mundo.

Em agosto de 1999 criei um site para homenagear o Senna com os números da sua carreira do kart a F1, as estatísticas, fotos, vídeos, etc. Depois de mudar de local de hospedagem algumas vezes ao longo dos anos hoje ele está hospedado no endereço www.normanbitner.com.br.

Para manter viva a lembrança do meu ídolo comecei a colecionar objetos relacionados a ele. Na  maior parte a minha coleção consiste em miniaturas de carros (escalas 1:64, 1:43 e 1:18), capacetes (escalas 1:8 e 1:2) e estátuas (em diferentes escalas). 

Também tenho camisetas, bonés, revistas, posters, fitas VHS, DVDs e livros.

Alguns itens da coleção foram difíceis de serem adquiridos por terem se tornado uma raridade e muito disputados pelos colecionadores.

Depois de muita pesquisa e paciência consegui comprar as miniaturas que tanto desejava.

Em várias oportunidades fui questionado por algumas pessoas sobre qual é a minha miniatura preferida. Costumo dizer que cada uma tem a sua importância seja pela dificuldade em adquirir ou por representar um momento da carreira do Senna.

Nos anos de 2006, 2009, 2012 e 2015 tive a oportunidade de visitar as exposições realizadas pelo Instituto Ayrton Senna em Curitiba e devo admitir que chorei em todas elas de tanta emoção.

Não tem como esquecer o que aconteceu naquele triste primeiro de maio mas eu prefiro lembrar dos bons momentos que o Senna me proporcionou ao longo da sua carreira.

Nas temporadas seguintes surgiram outros pilotos talentosos que logo foram apontados pela imprensa especializada como sendo o novo Senna. No entanto eles jamais podem ser comparados ao Ayrton Senna, pois cada um correu em uma época diferente com equipamentos específicos.

Foi o ídolo e ficou o mito. Valeu Ayrton!

 

 

Temporadas na F1

Poles na F1

Vitórias na F1

 

Circuito das Estações Etapa Outono

Apesar de se chamar Outono a primeira etapa do Circuito das Estações 2016 deveria se chamar Inverno 1 em Curitiba por causa da baixa temperatura.

A corrida deste domingo tinha um significado muito especial para mim pois teria a oportunidade de homenagear o meu ídolo Ayrton Senna. O boné lembrava o capacete, a camisa de manga comprida preta lembrava a Lotus, a camiseta vermelha representava a McLaren e os três títulos mundiais, o tênis amarelo lembrava a cor do capacete de 1985, ano da primeira vitória na F1.

Além disso, o número 2045 lembrava a data de 01/05/1994 graças a uma rápida combinação:

5 – 4 = 1 ———–> dia 1º

5 ——————->  mês 5

20 – 1 = 19

5 + 4 = 9

01/05/1994

No momento da largada a temperatura era de 2ºC. Segui num ritmo de trote lento e com muito cuidado para não me envolver em confusão. Fui me controlando até passar pela marca do três quilômetros.

Como estava me sentindo confiante resolvi aumentar o ritmo das minhas passadas e mantive controlado nos próximos três quilômetros.  Caminhei nos trechos de subida do sétimo quilômetro.

Ao iniciar o quilômetro oito acelerei o ritmo e procurei reservar as energias para os instantes finais da prova. No entanto, em nenhum momento me preocupei com o tempo decorrido e com a hipótese de baixar o meu tempo pessoal.

Completei o percurso em 1 hora 18 minutos 38 segundos, o meu novo recorde para a distância de 10 km. Fiquei muito surpreso e feliz com o resultado, afinal de contas estou me recuperando de uma lesão e corri me inspirando no eterno ídolo Ayrton Senna.

Coleção de miniaturas – Estátuas

GP do Brasil 1991
GP do Brasil 1991

Esta foi a primeira estátua adquirida para a minha coleção. Ela é uma reprodução do momento em que Ayrton Senna ergueu o troféu de vencedor do GP do Brasil de 1991 disputado no Circuito de Interlagos. Foi a sua primeira vitória no Brasil, numa corrida dramática em que ele perdeu cinco das seis marchas do seu carro nas voltas finais.

A estátua foi produzida pela Kotobukiya em resina polystone, mede 45 cm de altura e foram fabricadas 2.500 peças para o mundo inteiro. A minha é a de número 223.

GP do Japão de 1993
GP do Japão de 1993

Esta estátua também foi desenvolvida pela Kotobukiya. Representa o momento em que Ayrton Senna saudava os torcedores após vencer o GP do Japão de 1993. Foram produzidas 2.500 peças e a minha é a de número 389.

GP do Brasil 1985
GP do Brasil 1985

Esta estátua representa o Ayrton Senna no GP do Brasil de 1985, ocasião em que pilotava para a equipe Lotus. Foi desenvolvida em resina polystone pelo Iron Studios. A minha peça é a de número 85 de um total de 500.

Homenagem Póstuma
Homenagem Póstuma

Esta peça desenvolvida em bronze é uma reprodução do monumento localizado no Autódromo Enzo & Dino Ferrari, em Ímola. Depois de algum tempo resolvi colocá-la dentro de uma caixa.

Homenagem Póstuma
Homenagem Póstuma