TÚNEL DO TEMPO: 1ª Corrida Santos Dumont

Esta corrida noturna foi promovida pelo CINDACTA II (Segundo Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo), criado em 1982 com a finalidade de exercer a vigilância da circulação aérea em geral, bem como orientar as aeronaves.

Por se tratar de uma área militar o acesso foi permitido apenas aos corredores inscritos. Logo no portão de entrada tinha uma equipe controlando os corredores que chegavam.

O dia de realização da prova e a sua largada foram completamente atípicos. Uma sexta-feira às dez horas da noite, enquanto as corridas noturnas são normalmente realizadas nos sábados por volta das oito horas.

Aos poucos os corredores foram chegando e se aglomerando apesar do frio de 8ºC. Todos muito empolgados por causa do principal atrativo da prova, pois o final seria na pista de pouso e decolagem do Aeroporto do Bacacheri.

Tive a oportunidade de conversar com algumas pessoas, entre elas uma que faria a sua primeira corrida. Em poucos minutos de conversa dei várias dicas. Depois iniciei o meu ritual de concentração e alongamento.

Diferente do que acontece na maioria das corridas a separação dos corredores de 5 e 10 km foi a poucos metros da largada. A maioria deles estava usando a lanterna de LED na cabeça para auxiliar na iluminação.

Procurei manter um ritmo seguro sem arriscar nas ultrapassagens, pois a segurança era mais importante. Em algumas ruas os moradores estavam na calçada incentivando os corredores que passavam. Sem dúvida é muito bom receber este tipo de energia positiva.

Logo após completar a distância de 7 KM entrei nas dependências do CINDACTA II. A lanterna permitia uma visibilidade de cerca de cinco metros na minha frente. Segui num ritmo lento e procurando me manter próximo dos outros corredores.

Alcancei duas corredoras que também estavam num ritmo próximo do meu mas que estavam distantes de quem estava lá na frente. Ficamos lado a lado e num trote lento fomos iluminando o nosso caminho. Pouco depois de completarmos a distância de 8 KM finalmente chegamos a tão esperada pista de pouso.

Não era possível ter noção de distância por causa da escuridão. Era possível identificar apenas as luzes azuis do balizamento. Usamos como referência a linha tracejada, a sensação era de que estávamos muito longe da chegada.

A chegarmos no final da pista vimos um grupo sinalizando por onde deveríamos seguir. Fizemos com cuidado a curva até entrarmos na reta final. Pouco antes da chegada tinha um túnel onde passamos comemorando.

No entanto, quando me preparava para dar a minha arrancada fui ofuscado por holofote posicionado no pórtico de chegada. Foi uma pena, mas valeu a emoção de participar de uma corrida completamente diferente das outras.

O meu tempo para completar o percurso foi de 1 hora 18 minutos 26 segundos. É claro que por se tratar de uma corrida noturna não pode ser comparado com o meu melhor tempo para a distância de 10 km.

Em casa verifiquei no Facebook alguns comentários a respeito da morte de um corredor durante a corrida. Mas as informações não eram claras. Alguns minutos depois tomei conhecimento de que se tratava do marido de uma pessoa conhecida.

Sem dúvida é muito triste para nós corredores quando alguém morre durante uma prova. Mas isto serve de sinal de que devemos sempre estarmos atentos para o nosso estado de saúde principalmente no que diz respeito ao nosso coração.

 

 

Share

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *