Quatro meses depois

Já se passaram quatro meses daquela queda numa manhã de sábado e que resultou em uma fratura na cabeça do úmero. Foi a minha primeira fratura nos meus quarenta e oito anos e alguns meses de vida.

Felizmente não ocorreu nada de errado com os tendões e ligamentos, evitando assim uma cirurgia. Logo depois de tomar conhecimento da fratura combinada com uma bursite iniciei as sessões de fisioterapia.

Com exercícios diários fui lentamente recuperando os movimentos do braço esquerdo. Também demorei algum tempo para voltar a correr, pois tinha muito medo de sofrer uma nova queda e me machucar.

Depois de três meses da fratura consultei um ortopedista especialista em ombro. Ele falou que pelo tempo decorrido a fratura já deveria estar cicatrizada. A partir de agora os esforços serão concentrados nos exercícios para a recuperação da força muscular.

Depois de correr três provas apenas trotando notei que podia voltar a correr. No início foram cerca de duzentos metros, mas assim que ia recuperando a confiança aumentava a distância.

Durante as corridas a minha maior preocupação eram as dores ocasionadas pelo movimento com o braço. Pouco me importava com o tempo decorrido para completar os dez quilômetros.

Sei que ainda tenho muito o que exercitar para recuperar o meu braço. Mas sei que já consigo correr com segurança.