#TBT MAIO 2015

O mês de maio de 2015 foi marcado por três corridas de cinco quilômetros.

A primeira delas foi a Etapa Outono do Circuito das Estações. O percurso voltou a ser o mesmo de 2013, com a largada no Jockey Clube do Paraná. Cheguei cedo e fui logo pegar o meu chip. Enquanto isto o locutor avisava que corredores não inscritos não poderiam entrar no pelotão de largada.

Encontrei algumas pessoas conhecidas com quem conversei e desejei boa sorte.

Larguei com muito cuidado e preferi me poupar para ter mais energias no último quilômetro. Segui acelerando e nos cem metros finais acelerei as minhas passadas.  Completei o percurso em trinta e sete minutos e quarenta e sete segundos. Fiquei satisfeito com o tempo levando em consideração o frio no início da prova.

Duas semanas depois participei da prova de cinco quilômetros da Meia Maratona Ecológica de Curitiba.

O fato de conhecer o percurso ajudou bastante. A largada foi em frente ao Museu Oscar Niemeyer, um dos belos pontos turísticos de Curitiba.

Apesar do frio consegui manter um bom ritmo no início da prova. Enfrentei alguns problemas na primeira metade do percurso e sabia que não teria condições de bater o meu recorde dos 5 KM. Fui controlando o ritmo e nos cem metros finais acelerei as passadas rumo a chegada.

Completei o percurso no tempo de 36 min 21 seg. Valeu a pena participar de mais uma corrida e ganhar mais uma medalha. Encontrei várias pessoas conhecidas antes, durante e depois da prova.

Para encerrar o mês de maio participei da prova de cinco quilômetros da Graciosa Run, promovida pelo Graciosa Country Club e contou com cerca de mil participantes entre corredores de 5 e 10 KM e de caminhantes.

A temperatura era de 11ºC e exigiu um bom aquecimento antes da largada. O primeiro quilômetro foi completado em sete minutos e trinta e cinco segundos. No segundo quilômetro consegui correr um pouco mais rápido e completei em seis minutos e quarenta e cinco segundos, tirei proveito dos trechos de descida para aumentar o meu ritmo e deixar para trás os corredores mais lentos.

Normalmente no meio do terceiro quilômetro fica o posto de hidratação. Como o asfalto fica molhado neste trecho precisei tomar muito cuidado para não escorregar e sofrer um queda.

Fechei o terceiro quilômetro em sete minutos e cinquenta segundos, na sequencia aproveitei os trechos de descida para acelerar o meu ritmo.

Ao passar pela placa que marcava 4 KM olhei para o cronômetro e notei que o tempo decorrido era de vinte e nove minutos e dez segundos. Não teria condições de bater o meu recorde dos 5 KM (34 min 20 seg) e seria difícil de baixar o meu tempo da Graciosa Run de 2013 (35 min 29 seg).

Fui me controlando para ter energia para enfrentar o trecho de subida no final. Completei a prova em trinta e seis minutos cravados, distante do tempo da corrida de 2013 mas o meu melhor tempo em 2015.

 

 

Seis anos de corrida de rua – 2015

A primeira corrida no ano foi realizada no Parque Barigui.  A Barigui Race foi uma prova bastante tranquila, completei os cinco quilômetros em 36 min e 49 seg.

Em meados de março mais uma vez enfrentei os 5 km da Corrida Noturna Unimed. Corri com muito cuidado e completei a prova em 37 min e 46 seg.

No final de semana seguinte participei da primeira etapa do Circuito de Corridas de Rua da Prefeitura de Curitiba. Corri a prova de 5 km e completei o percurso em 37 min e 57 min.

No mês de abril corri mais uma edição da corrida Unidos pela Vida. Foi uma corrida bastante tranquila e terminei o percurso com 37 min e 16 seg.

No mês de maio tive a oportunidade de participar de três corridas. A primeira delas foi a Etapa Outono do Circuito das Estações, que voltou ao percurso de 2013. Cruzei a linha de chegada com o tempo de 37 min e 47 seg.

Duas semanas depois corri a prova de 5 km da 1/2 Maratona Ecológica de Curitiba. Mantive um bom ritmo ao longo do percurso e terminei em 36 min e 21 seg. Para encerrar o mês de maio participei de mais uma edição da Graciosa Run. A grande expectativa era de concluir a prova em um tempo menor que a do ano anterior. Enfrentei alguns problemas e terminei a prova em 36 min 00 seg.

O mês de junho foi marcado por três corridas. A primeira foi a segunda etapa do Circuito de Corridas promovido pela Prefeitura de Curitiba. Esta foi realizada em um percurso diferente da anterior. Tive um bom desempenho e percorri os 5 km em 36 min.

No domingo seguinte foi a vez da Etapa Inverno do Circuito das Estações. Fiz uma boa corrida e completei a prova em 35 min e 15 seg, bem melhor que o tempo da Etapa Outono.

O primeiro semestre do ano foi encerrado com a corrida Stadium Marathon. Foi uma prova bem tranquila que completei no tempo de 34 min e 42 seg, bem próximo do meu recordo dos 5 km.

O segundo semestre iniciou com a prova de 5 km da Batel Run. Como o percurso era conhecido tive facilidade para definir a minha estratégia. Corri com tranquilidade e completei a prova em 36 min e 36 seg.

Depois de pegar a minha medalha segui para o Hospital das Nações de onde sairia uma caminhada em direção ao Jardim Botânico. A caminhada de 2,5 km serviu para relaxar as minhas pernas depois da corrida de 5 km.

No domingo seguinte enfrentei os 5 km da Track & Field Pátio Batel. Completei a prova em 38 min e 05 seg. A última prova de julho foi a terceira etapa do Circuito da Prefeitura. Escolhi correr num ritmo de trote e completei os 5 km em 37 min e 01 seg.

O mês de agosto iniciou com a Etapa Primavera do Circuito das Estações. Me preservei nos trechos de subida e depois que entrei no último quilômetro acelerei as minhas passadas. Cruzei a linha de chegada com o tempo de 35 min e 24 seg, bem próximo do tempo da Etapa Inverno.

Para o mês de setembro apenas uma corrida estava programada. Enfrentei o percurso de cinco quilômetros da corrida da Polícia Civil do Paraná. Conhecendo as particularidades do percurso tive condições de desenvolver um bom ritmo e completar a prova em 36 min e 10 seg.

Duas corridas e uma caminhada estavam programadas para outubro. A primeira corrida foi a quarta etapa do Circuito da Prefeitura. Devido ao grande número de participantes foi complicado manter o ritmo. Terminei a prova em 37 min e 15 min. Duas semanas depois participei da prova de 5 km da corrida do Circuito CAIXA. Fiz uma corrida tranquila e completei o percurso em 35 min e 38 seg.

No dia quinze de novembro voltei ao local onde conquistei o meu recorde dos 5 km.  Portanto o grande desafio era completar a prova abaixo do tempo de 34 min 20 seg. Me poupei nos trechos de subida para depois aumentar o meu ritmo próximo do final. Completei a prova em 36 min 06 seg. Apesar de não ter batido o recorde fiquei contente em ter participado de mais uma corrida.

A última prova do no foi a Corrida do Judiciário com o percurso de 7 km. A distância diferente da que estava acostumado a correr complicou um pouco. Terminei a prova em 51 min e 57 seg.

 

Seis anos de corrida de rua – 2013

A minha primeira prova do ano foi a Corrida Noturna UNIMED que teve como local de largada e chegada o Campus da Universidade Positivo. Foi uma experiência diferente das duas corridas anteriores.

Correr à noite da iluminação das ruas exige uma atenção maior ao longo do percurso pois os buracos e outros obstáculos não são percebidos com facilidade. Apesar desta ter sido a minha primeira corrida noturna posso dizer que não tive uma boa impressão mesmo tendo terminado bem fisicamente a prova.

Algumas semanas depois participei de uma outra corrida noturna chamada Barigui Night Race realizada no Parque Barigui. Mesmo tendo conhecimento do percurso larguei com muito cuidado e logo consegui manter um bom ritmo. Completei os cinco quilômetros em 36 min 31 seg e conquistei a minha quarta medalha. Fiquei satisfeito com o meu desempenho.

A minha primeira prova diurna do ano foi a Etapa Outono do Circuito das Estações Adidas. Sem dúvida o meu desempenho foi melhor do que das corridas noturnas. Corri com tranquilidade e completei o percurso de 5 km no tempo de 35 min 56 seg. A partir de agora esta seria a marca a ser batida nas próximas corridas.

A prova seguinte foi a Corrida Unidos pela Vida. Um pouco antes antes do momento da largada fiz aquele que seria o meu ritual. Procurei um canto, longe das inúmeras pessoas que estavam ali, fiz o meu alongamento, conferi se os tênis estavam bem amarrados, fechei os olhos, respirei com calma e fiquei em silêncio por alguns instantes.

Me desliguei completamente do que acontecia em volta de mim e me concentrei no que enfrentaria dentro de alguns minutos. Em seguida me dirigi ao local da largada e permaneci em silêncio. Larguei com tranquilidade e segui procurando espaço para realizar as ultrapassagens e desenvolver um bom ritmo de corrida. A cada quilômetro percorrido o meu aplicativo do celular avisava a distância, o tempo e o ritmo.

Cruzei a linha de chegada com o tempo de 35 min 36 seg, que passou a ser o meu novo recorde dos 5 km.

Para encerrar o primeiro semestre do ano participei da Etapa Inverno do Circuito das Estações. O fato de conhecer o percurso ajudou bastante. Completei a prova em um tempo de  37 min e 55 seg e conquistei mais uma medalha para a minha coleção.

No primeiro domingo de julho participei da prova de 5 km da Corrida Track & Field Mueller. A largada foi em frente ao Shopping Mueller. Devido aos trechos de subida a prova era mais de resistência do que de velocidade. Sendo assim segui em um ritmo bem lento e fui poupando as minhas energias para o final. Quando finalmente terminaram as subidas comecei a acelerar as minhas passadas para aproveitar as descidas. Completei o percurso no tempo de 38 min e 11 seg e conquistei mais uma medalha para a coleção.

No início de agosto retornei ao local da minha primeira corrida. Pela segunda vez iria participar da prova de 5 km da Corrida da Esperança.  A principal expectativa era a de melhorar o meu tempo em relação ao da minha primeira corrida. É claro que também existia uma expectativa muito grande para bater o meu recorde.

Completei a prova em 39 min e 40 seg. Fiquei muito contente com o resultado alcançado.

Duas semanas depois participei da Etapa Primavera do Circuito das Estações. Corri com tranquilidade e completei o percurso de 5 km no tempo de 37 min e 44 seg, um desempenho melhor que o da Etapa Inverno.

O mês de setembro foi marcado pela Corrida da Polícia Civil do Paraná. Como desconhecia as características do percurso preferi seguir em um ritmo confortável até perceber que não teria mais subidas pela frente.

Aos poucos fui aumentando o ritmo das passadas e completei o percurso de 5 km em 36 min 22 seg. Fiquei satisfeito com o meu desempenho pois terminei a prova bem fisicamente.

Em outubro tive a oportunidade de participar de mais uma corrida noturna: a Night Run. O percurso era muito semelhante ao das corridas do Circuito das Estações. No entanto a iluminação das ruas torna a corrida noturna completamente diferente da diurna. Escolhi um ritmo de trote por considerar mais seguro.  Cruzei a linha de chegada com o tempo de 39 min 12 seg.

Na semana seguinte participei da Corrida UNIMED, desta vez diurna.  Logo após ter completado o primeiro quilômetro vi um garota cair desmaiada na calçada. Parei imediatamente, pedi ajuda para o pessoal do apoio e segui adiante.

Porém de certa forma aquela cena me abalou emocionalmente e não consegui manter o meu ritmo de corrida. Consegui melhorar quando estava quase na metade do último quilômetro. Terminei a prova em 40 min e 52 seg, o meu pior tempo nas corridas de 5 km.

 

No primeiro domingo de novembro participei da Graciosa Run, promovida pelo Graciosa Country Club, um tradicional clube de Curitiba.

Procurei me preservar nos trechos de subida e fui controlando o meu ritmo. Quando iniciei o quinto quilômetro olhei para o meu relógio e percebi que tinha condições de bater o meu recorde pessoal.

Passei a verificar a distância restante para o final da prova e o tempo disponível  em relação ao meu recorde de 35 min e 36 seg. Completei o percurso em 35 min e 29 seg, o meu novo recorde e a marca a ser batida.

Em meados de novembro participei da caminhada de 6 km do Circuito Caixa. Segui em um ritmo bem tranquilo e aproveitei para conversar com quem estava ao meu lado.

Sem dúvida foi um experiência diferente percorrer uma distância maior do que aquela que estava acostumado. Aos poucos fui evoluindo o meu ritmo da caminhada para o trote. Completei o percurso em 01 hora 04 min 13 seg.

Para encerrar a temporada de 2013 corri a Etapa Verão do Circuito das Estações Adidas. Enfrentei algumas dificuldades durante o percurso e não consegui correr no ritmo desejado. Completei a prova em 38 min 36 seg, o pior tempo das quatro etapas do Circuito das Estações.

No início do ano tinha o objetivo de participar de uma corrida por mês. Posso dizer que fiquei muito contente pois tive a oportunidade de correr em vários lugares de Curitiba. É difícil indicar qual foi a melhor corrida nem qual a medalha mais bonita. Cada corrida teve uma emoção diferente, seja pelas dificuldades enfrentadas ao longo do percurso ou pela conquista de um recorde pessoal.

Ao longo do ano conheci pessoas das mais diversas idades cada qual com o seu condicionamento físico. Também formei laços de amizade com vários corredores.

 

 

Cinco anos de corridas de rua – Parte 5

Para o ano de 2015 programei um número maior de corridas em relação aos anos anteriores.

 

Temporada de 2015 – 1º Semestre

A primeira corrida no ano foi realizada no final de janeiro no Parque Barigui.  A Barigui Race foi uma prova bastante tranquila principalmente pelo fato do percurso ser plano e conhecido. Completei os cinco quilômetros em 36 min e 49 seg.

A corrida seguinte foi em meados de março. Mais uma vez enfrentei os 5 km da Corrida Noturna Unimed.

Corri com muito cuidado e completei a prova em 37 min e 46 seg.

No final de semana seguinte participei da primeira etapa do Circuito de Corridas de Rua da Prefeitura de Curitiba.

Corri a prova de 5 km e completei o percurso em 37 min e 57 min.

No mês de abril corri mais uma edição da corrida Unidos pela Vida. Foi uma corrida bastante tranquila e terminei o percurso com 37 min e 16 seg.

No mês de maio tive a oportunidade de participar de três corridas. A primeira delas foi a Etapa Outono do Circuito das Estações, que voltou ao percurso de 2013.

Larguei com cuidado e fui me livrando da confusão entre os corredores. Demorei um pouco para conseguir desenvolver um bom ritmo de corrida. Cruzei a linha de chegada com o tempo de 37 min e 47 seg.

Duas semanas depois corri a prova de 5 km da 1/2 Maratona Ecológica de Curitiba. Mantive um bom ritmo ao longo do percurso e terminei em 36 min e 21 seg.

Para encerrar o mês de maio participei de mais uma edição da Graciosa Run. A grande expectativa era de concluir a prova em um tempo menor que a do ano passado. Enfrentei alguns problemas e terminei a prova em 36 min 00 seg.

O mês de junho foi marcado por três corridas. A primeira delas foi a segunda etapa do Circuito de Corridas promovido pela Prefeitura de Curitiba. Esta foi realizada em um percurso diferente da anterior. Tive um bom desempenho e percorri os 5 km em 36 min.

No domingo seguinte foi a vez da Etapa Inverno do Circuito das Estações. Fiz uma boa corrida e completei a prova em 35 min e 15 seg, bem melhor que o tempo da Etapa Outono.

O primeiro semestre do ano foi encerrado com a corrida Stadium Marathon. Foi uma prova bem tranquila que completei no tempo de 34 min e 42 seg, bem próximo do meu recordo dos 5 km.

Cinco anos de corridas de rua – Parte 2

Temporada de 2013 – 2º Semestre

No primeiro domingo de julho participei da prova de 5 km da Corrida Track & Field Mueller. A largada foi em frente ao Shopping Mueller. Como tinha conhecimento das características do circuito sabia que não teria condições de melhorar o meu tempo.

Devido aos trechos de subida a prova era mais de resistência do que de velocidade. Sendo assim segui em um ritmo bem lento e fui poupando as minhas energias para o final.

Quando finalmente terminaram as subidas comecei a acelerar as minhas passadas para aproveitar as descidas. Completei o percurso no tempo de 38 min e 11 seg e conquistei mais uma medalha para a coleção.

No início de agosto retornei ao local da minha primeira corrida. Pela segunda vez iria participar da prova de 5 km da Corrida da Esperança.  O fato de já conhecer o percurso ajudou bastante para controlar o ritmo de corrida em cada trecho.

A principal expectativa era a de melhorar o meu tempo em relação ao da minha primeira corrida. É claro que também existia uma expectativa muito grande para bater o meu recorde.

Quando percebi que não teria condições de chegar perto da marca dos 35 min 36 seg corri para completar a prova em um tempo menor que 39 min 51 seg. Completei a prova em 39 min e 40 seg. Fiquei muito contente com o resultado alcançado.

Duas semanas depois participei da Etapa Primavera do Circuito das Estações. Sem dúvida o fato de conhecer o percurso foi um fator positivo.

Corri com muita tranquilidade e completei o percurso de 5 km no tempo de 37 min e 44 seg, um desempenho melhor que o da Etapa Inverno.

A última prova do Circuito das Estações estava marcada para o final de novembro. Até lá teria outras corridas para enfrentar.

O mês de setembro foi marcado pela Corrida da Polícia Civil do Paraná. Como desconhecia as características do percurso iniciei com muita calma. Preferi seguir em um ritmo confortável até perceber que não teria mais subidas pela frente.

Aos poucos fui aumentando o ritmo das passadas e completei o percurso de 5 km em 36 min 22 seg. Fiquei satisfeito com o meu desempenho pois terminei a prova bem fisicamente.

Em outubro tive a oportunidade de participar de mais uma corrida noturna: a Night Run. O percurso era muito semelhante ao das corridas do Circuito das Estações. No entanto a iluminação das ruas torna a corrida noturna completamente diferente da diurna.

Escolhi um ritmo de trote por considerar mais seguro. Afinal de contas não tinha nenhuma preocupação com o tempo necessário para completar a prova. Cruzei a linha de chegada com o tempo de 39 min 12 seg.

Na semana seguinte participei da Corrida UNIMED, desta vez diurna.  Logo após ter completado o primeiro quilômetro vi um garota cair desmaiada na calçada.

Parei imediatamente, pedi ajuda para o pessoal do apoio e segui adiante. Porém de certa forma aquela cena me abalou emocionalmente e não consegui manter o meu ritmo de corrida. Consegui melhorar quando estava quase na metade do último quilômetro. Terminei a prova em 40 min e 52 seg, o meu pior tempo nas corridas de 5 km.

 

No primeiro domingo de novembro participei da Graciosa Run, promovida pelo Graciosa Country Club, um tradicional clube de Curitiba.

Procurei me preservar nos trechos de subida e fui controlando o meu ritmo. Quando iniciei o quinto quilômetro olhei para o meu relógio e percebi que tinha condições de bater o meu recorde pessoal.

Passei a verificar a distância restante para o final da prova e o tempo disponível  em relação ao meu recorde de 35 min e 36 seg. Completei o percurso em 35 min e 29 seg, o meu novo recorde e a marca a ser batida.

Em meados de novembro participei da caminhada de 6 km do Circuito Caixa. Segui em um ritmo bem tranquilo e aproveitei para conversar com quem estava ao meu lado.

Sem dúvida foi um experiência diferente percorrer uma distância maior do que aquela que estava acostumado. Aos poucos fui evoluindo o meu ritmo da caminhada para o trote. Completei o percurso em 01 hora 04 min 13 seg.

Para encerrar a temporada de 2013 corri a Etapa Verão do Circuito das Estações Adidas, a última chance para tentar bater o meu recorde pessoal. Porém enfrentei algumas dificuldades durante o percurso e não consegui correr no ritmo desejado. Completei a prova em 38 min 36 seg, o pior tempo das quatro etapas do Circuito das Estações.

No início do ano tinha o objetivo de participar de uma corrida por mês. Posso dizer que fiquei muito contente pois tive a oportunidade de correr em vários lugares de Curitiba.

É difícil indicar qual foi a melhor corrida nem qual a medalha mais bonita. Cada corrida teve uma emoção diferente, seja pelas dificuldades enfrentadas ao longo do percurso ou pela conquista de um recorde pessoal.

Ao longo do ano conheci pessoas das mais diversas idades cada qual com o seu condicionamento físico. Também formei laços de amizade com vários corredores.

Agora restava aguardar a divulgação do calendário de corridas de 2014.

Recorde

A minha primeira participação em corridas de rua foi  na Corrida e Caminhada da Esperança em agosto de 2012. Completei o percurso de cinco quilômetros em 39 minutos e 51 segundos. Sendo assim, este tempo passou a ser a minha referência e a marca a ser batida.

A primeira oportunidade foi em março de 2013 na corrida Barigui Race, disputada no Parque Barigui. Usando um Asics Exalt percorri a distância em 36  minutos e 31 segundos. No entanto, para baixar uma marca pessoal não basta apenas correr mais rápido. É preciso principalmente saber respeitar os limites do corpo. Além disso, o planejamento e a paciência também são importantes.

Baixar o tempo é o desejo de todo corredor, mas nem sempre isto é possível, seja pelas características do percurso, das condições climáticas ou outro motivo qualquer. Nas corridas durante o percurso vou verificando o tempo percorrido e quando chego ao final do quarto quilômetro posso saber se tenho condições de correr atrás do meu recorde ou então completar a prova em um tempo próximo.

Nas duas corridas seguintes tive a chance de melhorar o meu tempo. Na etapa Outono do Circuito das Estações completei a prova em um tempo de 35 minutos e 56 segundos e na corrida Unidos pela Vida melhorei o meu tempo para 35 minutos 36 segundos.

Surgiram novas oportunidade mas o recorde não foi alcançado em nenhuma delas. Somente seis meses depois em uma corrida onde não esperava chegar perto do meu melhor tempo é que melhorei a minha marca pessoal. Foi na corrida Graciosa Run correndo com o Asics Exalt. A partir de então a marca a ser perseguida passou a ser o tempo de 35 minutos e 29 segundos.

Em abril de 2014 passei a correr com o Adidas Springblade. Em cinco corridas com ele já consegui atingir a marca de 35 minutos e 39 segundos, ou seja, faltam apenas dez segundos para atingir o meu recorde.