#TBT JULHO/2018

O mês foi marcado por uma caminhada e duas corridas.

01 – 4ª CAMINHADA PELA SAÚDE

O primeiro domingo do mês de julho não foi marcado por uma corrida mas sim pela minha participação na 4ª Caminhada pela Saúde promovida pelo Hospital das Nações.

Na estrutura montada no estacionamento do hospital os participantes poderiam pegar a sua camiseta, medir a glicemia, verificar a pressão arterial e calcular o IMC (Índice Massa Corporal). Também haviam frutas e água para os participantes.

Nas ruas por onde passamos pudemos notar os moradores na frente de suas casas acenando e mandando a sua energia positiva. Com certeza foi o momento mais emocionante da caminhada.

Percorremos em pouco mais de uma hora a distância de três quilômetros.  Para mim foi uma situação completamente diferente pois neste tempo estou acostumado a percorrer cerca de nove quilômetros correndo.

Sem dúvida participar desta caminhada foi muito gratificante, pois durante a caminhada vi pessoas que estavam ali iniciando uma nova etapa de suas vidas depois de decidir parar de fumar e outras que estavam se recuperando de uma cirurgia.

08 – TRACK & FIELD PATIO BATEL

Cheguei cedo na arena do evento e fui logo retirar o meu chip. A estrutura estava montada no estacionamento do shopping. Havia um espaço exclusivo para os corredores fazerem o seu aquecimento.

Para esta prova o meu principal objetivo era completar o percurso em trinta e sete minutos. Desde o início procurei colocar em prática as dicas que recebi dos meus amigos.

Consegui manter um ritmo confortável durante dois quilômetros. Reduzi um pouco o ritmo das minhas passadas no início do terceiro quilômetro. Em seguida retomei o meu ritmo inicial e fui controlando a distância a ser percorrida.

Ao iniciar o último quilômetro percebi que teria condições de terminar a prova antes dos trinta e sete minutos.

De acordo com a cronometragem da prova completei o percurso de cinco quilômetros em 35:48. Poderia ter conseguido um tempo melhor mas fiquei muito contente por ter concluído em um tempo abaixo daquele que havia estabelecido.

 

15 – CIRCUITO DAS ESTAÇÕES INVERNO

A grande novidade desta prova foi o novo percurso. Particularmente fiquei muito contente com a mudança pois sempre critiquei a arena dos eventos realizados no Jockey Clube do Paraná.

A arena foi montada na Praça Nossa Senhora de Salete. Os percursos de 5 e de 10 km eram conhecidos da maioria dos corredores. O local tem para mim dois momentos significativos. O primeiros deles foi em agosto de 2012 quando fiz a minha estreia no mundo das corridas.

Nos anos seguintes participei de várias provas neste percurso mas sem dúvida o momento mais emocionante foi em novembro de 2014. Na ocasião completei os cinco quilômetros em 34 minutos e 10 segundos, tempo que é o meu recorde.

Larguei com tranquilidade mas procurando espaço para desenvolver um bom ritmo. Na metade do terceiro quilômetro enfrentei um trecho de subida e reduzi o ritmo. Um pouco antes de chegar em frente ao Museu Oscar Niemeyer comecei a acelerar o ritmo das passadas. Não tinha condições de bater o meu recorde mas poderia concluir com um tempo aproximado de 36 minutos.

Cruzei a linha de chegada com o tempo de 36 minutos e 15 segundos. Mas o melhor momento foi quando após pegar a minha medalha alguém me abordou e disse era leitor do meu blog e contou que depois de ler a reportagem sobre a minha participação na Meia Maratona de Curitiba procurou saber quem eu era. Foi um grande prazer conhecer quem me acompanha nas redes sociais e no blog www.normanbitner.blog.br.

 

 

 

4ª Caminhada pela Saúde

O primeiro domingo do mês de julho não foi marcado por uma corrida mas sim pela minha participação na 4ª Caminhada pela Saúde promovida pelo Hospital das Nações.

Na estrutura montada no estacionamento do hospital os participantes poderiam pegar a sua camiseta, medir a glicemia, verificar a pressão arterial e calcular o IMC (Índice Massa Corporal). Também haviam frutas e água para os participantes.

Cerca de meia hora antes do início da caminhada tivemos uma aula de alongamento e aquecimento. O percurso de três quilômetros seria nas ruas próximas do hospital. Um caminhão de som seguiu na frente num ritmo bem lento, afinal de contas no grupo tínhamos pessoas das mais diversas idades e condições, bem como crianças.

Nas ruas por onde passamos pudemos notar os moradores na frente de suas casas acenando e mandando a sua energia positiva. Com certeza foi o momento mais emocionante da caminhada.

Percorremos em pouco mais de uma hora a distância de três quilômetros.  Para mim foi uma situação completamente diferente pois neste tempo estou acostumado a percorrer cerca de nove quilômetros correndo.

Sem dúvida participar desta caminhada foi muito gratificante, pois durante a caminhada vi pessoas que estavam ali iniciando uma nova etapa de suas vidas depois de decidir parar de fumar e outras que estavam se recuperando de uma cirurgia.

Certa vez alguém me questionou porque eu participo de caminhada se corro há quase seis anos. A resposta que dei foi simples. Disse que foi a partir de uma caminhada que deixei de lado o sedentarismo. No final de setembro de 2011 participei da Caminhada do Coração promovida pelo Hospital Constantini.

 

Cinco anos de corridas de rua – Parte 6

Temporada de 2015 – 2º Semestre

O segundo semestre iniciou com a prova de 5 km da Batel Run. Como o percurso era conhecido tive facilidade para definir a minha estratégia. Corri com tranquilidade e completei a prova em 36 min e 36 seg.

Depois de pegar a minha medalha segui para o Hospital das Nações de onde sairia uma caminhada em direção ao Jardim Botânico. A caminhada de 2,5 km serviu para relaxar as minhas pernas depois da corrida de 5 km.

No domingo seguinte enfrentei os 5 km da Track & Field Pátio Batel. Na semana que antecedeu a corrida tive a oportunidade de estudar o percurso e escolher uma estratégia. Completei a prova em 38 min e 05 seg.

A última prova de julho foi a terceira etapa do Circuito da Prefeitura. Escolhi correr num ritmo de trote e completei os 5 km em 37 min e 01 seg.

O mês de agosto iniciou com a Etapa Primavera do Circuito das Estações. Desde o início procurei correr em um ritmo forte. Me preservei nos trechos de subida e depois que entrei no último quilômetro acelerei as minhas passadas. Cruzei a linha de chegada com o tempo de 35 min e 24 seg, bem próximo do tempo da Etapa Inverno.

Para o mês de setembro apenas uma corrida estava programada. Enfrentei o percurso de cinco quilômetros da corrida da Polícia Civil do Paraná. Conhecendo as particularidades do percurso tive condições de desenvolver um bom ritmo e completar a prova em 36 min e 10 seg.

Duas corridas e uma caminhada estavam programadas para outubro. A primeira corrida foi a quarta etapa do Circuito da Prefeitura. Devido ao grande número de participantes é complicado manter o ritmo. Terminei a prova em 37 min e 15 min.

Duas semanas depois participei da prova de 5 km da corrida do Circuito CAIXA. Fiz uma corrida tranquila e completei o percurso em 35 min e 38 seg.

No dia quinze de novembro voltei ao local onde conquistei o meu recorde dos 5 km.  Portanto o grande desafio era completar a prova abaixo do tempo de 34 min 20 seg.

Me poupei nos trechos de subida para depois aumentar o meu ritmo próximo do final. Completei a prova em 36 min 06 seg. Apesar de não ter batido o recorde fiquei contente em ter participado de mais uma corrida.

A última prova do no foi a Corrida do Judiciário com o percurso de 7 km. A distância diferente da que estava acostumado a correr complicou um pouco. Terminei a prova em 51 min e 57 seg.

 

Dois desafios no mesmo dia

Para este domingo eu tinha programado um desafio duplo. A primeira etapa seria a corrida de 5 KM da Batel Run com largada na Praça da Espanha, um lugar que fez parte da minha infância.

Ao chegar na praça aproveitei para dar uma volta. Ela passou por uma reforma recentemente e está bem diferente daquela que frequentei no início dos anos 70 quando morei perto dali na rua Saldanha Marinho. O dia ainda não tinha amanhecido mas pude notar a presença de vários jovens cujo comportamento indicava que estavam saindo da balada.

Tive a oportunidade de encontrar algumas pessoas conhecidas com quem conversei durante alguns momentos e desejei uma boa corrida. Alguns instantes antes da largada percebi ao meu lado um menino cadeirante ao lado do qual corri na corrida Stadium Marathon há duas semanas. Estava acompanhado do seu pai e parecia estar ansioso para participar de mais uma corrida.

Logo em seguida chegou uma mãe com um filho cadeirante. Apesar de os dois serem portadores de deficiências diferentes era possível ver que eles estavam interagindo bem.  Ao ser dada a largada desejei uma boa prova e segui adiante.

Em um determinado local vi que alguns metros na minha frente tinha uma deficiente visual que corria acompanhada pelo seu guia. Fiquei do lado deles e parabenizei pelo bonito exemplo. Apesar da sua limitação ela estava lá correndo.

Como havia estudado as subidas e descidas do percurso decidi fazer uma corrida tranquila. Não tinha preocupação em melhorar o meu tempo. Poupei as minhas energias para o último quilômetro.

Ao cruzar a linha de chegada nem vi para o tempo que estava marcando no meu relógio, pois prefiro analisar em casa com mais calma. Peguei a minha medalha e os brindes do patrocinadores. Enquanto estava do guarda volumes para pegar a minha mochila um amigo me chamou.

Depois de conversar um pouco a respeito da prova segui para o meu segundo desafio do dia. Seria uma caminhada de dois quilômetros e meio do Hospital das Nações e o Jardim Botânico. Para chegar lá caminhei por algumas quadras até encontrar um ponto de táxi.

Por se tratar de uma caminhada a velocidade seria bem menor do que da corrida que eu tinha terminado há pouco tempo. No entanto seria uma boa oportunidade para relaxar a musculatura. Demoramos cerca de quarenta e cinco minutos para chegarmos ao Botânico.

Lá tinha uma estrutura montada com água e banheiros, além de medalhas para os participantes. Ao meu lado uma senhora ficou emocionada ao saber que iria ganhar uma medalha por ter participado de uma caminhada.

Aproveitei para dar os parabéns e dizer que esta medalha seria a primeira de muitas, pois eu também comecei com uma caminhada. Tirei algumas fotos e resolvi voltar para casa, poderia pegar um táxi mas escolhi caminhar.

E lá se foram mais dois quilômetros e meio de caminhada até chegar em casa. No final das contas foram cinco quilômetros de corrida, cinco de caminhada e duas medalhas.

Agora as atenções já estão voltadas para o desafio do próximo domingo. Será a corrida Track & Field Batel.