Férias

Férias em Brasília – Dia 6

Hoje foi dia de visitar a Catedral Metropolitana de Brasília.

A Catedral Metropolitana – Nossa Senhora Aparecida ou simplesmente Catedral de Brasília, é um templo católico brasileiro, na qual se encontra a cátedra da Arquidiocese de Brasília, localizada na capital federal, ao sul da S1, no Eixo Monumental, região da Esplanada dos Ministérios.

Sua arquitetura foi concebida por Oscar Niemeyer e é por vezes considerada sua obra-prima, tendo sido graças a ela que o arquiteto venceu o Prêmio Pritzker, considerado equivalente ao Nobel de sua profissão, em 1988.

O local da Catedral foi previsto por Lúcio Costa em seu Projeto para o Plano Piloto. Segundo Lúcio, ela deveria ficar em uma praça autônoma por questões protocolares – simbolizando fisicamente a laicidade do estado e a separação entre governo e religião, por isso fora da Praça dos Três Poderes – e também por questão de escala, a fim de valorizar o monumento e ordem arquitetônica, manter limpa a perspectiva até o Marco Zero, no cruzamento dos eixos, por isso fora do canteiro central do Eixo Monumental.

Uma vez definido o local, o arquiteto Oscar Niemeyer, segundo o próprio, se inspirou nos antigos mestres que construíram catedrais com cúpulas gigantes usando os recursos estruturais existentes na época. Tendo ele o concreto armado à disposição, idealizou uma obra em que a estrutura parece ascender aos céus, sendo formalmente simples, compacta e fazendo dos pilares estruturantes os protagonistas. Ele baseou o desenho da catedral numa estrutura hiperboloide.

Numa base circular que fica três metros abaixo do solo, subiriam vinte e uma colunas em forma de bumerangue e com uma cinta de concreto a uni-las quase no topo. Em cima dela, uma expressiva cruz metálica.

Os fechamentos seriam feitos por vidros encurvados, complementando os espaços entre os pilares. Além desse volume principal, haveriam apenas alguns elementos enterrados – túnel de acesso, batistério e sacristia – e o campanário separado.

Na praça de acesso ao templo, encontram-se quatro esculturas em bronze com três metros de altura, representando os Quatro Evangelistas, de Alfredo Ceschiatti, com a colaboração de Dante Croce em 1970.

Um campanário de 20 metros de altura sustenta quatro grandes sinos doados por moradores espanhóis do Brasil e trazidos de Miranda de Ebro na parte externa da catedral.

Na entrada, está um pilar com passagens da vida de Maria, mãe de Jesus, pintado por Athos Bulcão. Uma piscina refletora de 12 metros de largura e 40 centímetros de profundidade rodeia a catedral, ajudando a resfriar o edifício. Os visitantes passam sob esta piscina ao entrar na catedral.

Na catedral, sobre a nave, estão esculturas de três anjos, suspensas por cabos de aço. O mais curto tem 2,22 metros de comprimento e pesa 100 kg, o médio tem 3,4 metros de comprimento e pesa 200 quilos e o maior tem 4,25 metros e pesa 300 quilos.

As esculturas são de Alfredo Ceschiatti, com a colaboração de Dante Croce, em 1970. O altar foi doado pelo Papa Paulo VI e a imagem da padroeira Nossa Senhora de Aparecida é a réplica do original que está no município de Aparecida, São Paulo.

O Caminho da Cruz é uma obra de Di Cavalcanti. Sob o altar principal está uma pequena capela acessível por cada lado do altar. O interior da catedral é revestido com 500 toneladas de mármore.

Entrei e percebi que a Catedral estava vazia, notei apenas um funcionário em um canto desempenhando as suas atividade. Caminhei lentamente olhando para o alto e admirando a beleza de cada detalhe.

Tive a impressão de que os anjos se movimentavam e aos poucos senti as minhas energias sendo renovadas. Foi um momento muito gratificante.

 

Norman Bitner
Nascido em Curitiba - PR. Administrador, bancário, atleticano, corredor de rua, canhoto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.