Neste domingo participei da segunda etapa do Circuito das Estações em Curitiba. Como estou em fase de recuperação de uma fratura resultante de uma queda no final de março a minha maior preocupação era a de correr sem sentir dores no braço.

A largada aconteceu às 7:00 horas com os corredores divididos em blocos de acordo com o seu ritmo. Larguei com muita tranquilidade e realizei algumas ultrapassagens. Consegui manter um bom ritmo ao longo de dois quilômetros, como estava sem informações como distância percorrida, ritmo e batimento cardíaco preferi trotar um pouco durante todo o terceiro quilômetro.

Assim que passei pela placa dos 3 KM retomei o meu ritmo de corrida e fui controlando nos três quilômetros seguintes. Na sequencia alternei o trote com a caminhada com o intuito de recuperar as energias.

Voltei a correr e procurei me manter próximo de quem estava na minha frente, pois pretendia iniciar as ultrapassagens antes da metade do último quilômetro. Tive que fazer uma parada rápida para amarrar o tênis mas consegui me recuperar.

Cheguei no portão do Jockey Clube com uma distância segura. Como o trecho até a chegada é todo esburacado não acelerei muito. Fiquei contente por ter feito a corrida sem sentir dores no braço, nem me preocupei em ver qual tinha sido o tempo final.

Ao analisar os dados do aplicativo da Adidas verifiquei que o meu tempo final foi de 1 hora, 15 minutos e 16 segundos, o meu novo recorde para os 10 KM. Em relação a minha primeira prova do ano o meu tempo já baixou quatro minutos.

Sei que ainda tenho que corrigir muita coisa mas sei que estou melhorando.

 

Circuito das Estações Etapa Inverno 2016

Tags:                                 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.