Quatro anos longe do sedentarismo

No final de agosto de 2011 tentei usar o aplicativo Nike+ do meu iPhone. Como não obtive sucesso pesquisei no Google sobre o que era necessário e em poucos minutos descobri que precisava de um chip para usar no tênis.

Alguns dias depois comprei um Nike Pegasus 28 e um chip. Foi no dia dezoito de setembro que passei o portão da minha casa para a minha primeira caminhada. Defini o tempo de uma hora e comecei a dar voltas na quadra em que moro.

Por ser sedentário iniciei em um ritmo bem lento e sem nenhuma preocupação com a distância. Ao final do prazo estabelecido percorri a distância de 6,84 KM. Nos dias seguintes passei a caminhar no mesmo horário e aos poucos percebi que consegui caminhar um pouco mais longe.

No final do mês tive a oportunidade de participar da Caminhada do Coração, promovida pelo Hospital Cardiológico Constantini. Um percurso de pouco menos de 5 KM entre a Praça do Japão e o Parque Barigui. O evento conta com a participação de um número grande de pessoas das mais variadas idades, inclusive de pacientes transplantados.

Com as caminhadas diárias o meu condicionamento físico foi melhorando. Passei a alternar a caminhada com o trote. Para começar a correr foi uma questão de tempo.

O tempo passou e em agosto de 2012 participei da minha primeira corrida.  Percorri os cinco quilômetros da Corrida da Esperança em 39 min 51 seg. Assim começou a coleção de medalhas.

De lá para cá participei de várias corridas, é difícil escolher qual foi a mais marcante pois cada uma tem as suas características, tanto no que se refere ao percurso quanto as situações que ocorrem. A sensação de cruzar a linha de chegada é indescritível.

Atualmente estou passando por um período de transição, pois pretendo participar das provas de dez quilômetros em 2016. Sem dúvida será um grande desafio já que estou acostumado a correr 5 KM. Não basta apenas preparo físico para enfrentar a nova distância, é preciso também preparar a parte psicológica, cérebro e pernas devem estar sincronizados.

Quatro anos depois dos primeiros passos da caminhada deixei pouco mais de 1.600 KM para trás entre caminhadas, treinos e corridas. A coleção de medalhas foi crescendo e faltam apenas duas para chegar a cinquenta.

Enfim, para deixar o sedentarismo basta levantar do sofá e dar o primeiro passo.