Quatro anos de corridas

Há quatro anos numa manhã de domingo eu tive a oportunidade de participar da minha primeira corrida de rua. Tratava-se da Corrida e Caminhada da Esperança com um percurso nas ruas próximas do Centro Cívico.

Seria uma experiência diferente pois até então eu estava acostumado a correr nas ruas do bairro onde moro mas sem a presença de outros corredores. Além disso não tinha a mínima ideia do tempo que seria necessário para percorrer o percurso de cinco quilômetros.

Com o número 21248 na camiseta larguei com muito cuidado calma e fui acelerando aos poucos, tomando cuidado nas ultrapassagens para não atrapalhar os outros corredores.

Reduzi o ritmo quando cheguei na subida, mas recuperei logo em seguida. Ao passar pela placa que marcava os 4 KM acelerei a minha passada para percorrer o último quilômetro.

Quando entrei na reta final olhei para o cronômetro no portal da chegada e percebi a possibilidade de completar os 5 km em 40 minutos. Procurei espaço para poder ultrapassar e cruzei a linha de chegada com 39 min 51 seg.

É muito difícil explicar a sensação de terminar uma corrida mas posso dizer que foi muito gratificante. Ainda um pouco ofegante recebi a minha medalha e em seguida peguei um copo d’água e uma fruta.

O tempo passou e desde então tive a oportunidade de participar de muitas outras corridas em que cada uma representava um desafio diferente.Conheci várias pessoas com as quais formei amizades.

Acordar cedo no domingo e chegar no local da prova antes mesmo do dia clarear passou a ser uma rotina. Aos poucos o condicionamento físico foi melhorando e aprendi a controlar o meu ritmo ao logo do percurso.

Ainda em 2012 participei da Corrida e Caminhada da Longevidade. Desta vez preferi me inscrever na caminhada de três quilômetros. Mas quando foi dada a largada eu saí num ritmo de corrida. Completei o percurso em 23 minutos.

Ao longo do ano de 2013 participei de um número maior de corridas. Cada uma delas tinha características específicas, algumas com percurso tranquilo e outras com muitas subidas.

Consegui o meu melhor tempo na corrida Graciosa Run. Na ocasião completei o percurso em um tempo de 35 minutos e 29 segundos, uma marca que passaria a ser o meu recorde pessoal para os cinco quilômetros.

No início de 2014 na minha primeira prova resolvi enfrentar a distância de 10 km. Foi uma experiência diferente mas consegui concluir a prova em um tempo abaixo daquele que havia planejado.

Nos meses seguintes participei de diversas corridas de 5 km. No entanto em nenhuma delas melhorei o meu tempo. Somente na penúltima corrida, alguns dias depois de o meu recorde ter completado um ano, que finalmente melhorei o meu tempo.

O novo recorde pessoal passou a ser de 34 minutos e 20 segundos, a marca a ser batida em 2015. O número de corridas foi bem maior que nos anos anteriores. Porém o mais perto que cheguei do meu recorde foi 34 minutos e 31 segundos.

Ao final do ano decidi que estava na hora de sair da zona de conforto dos 5 km. Em 2016 participaria de corridas de 10 km. Sabia que o início seria complicado pois teria que aprender a controlar o meu ritmo para correr a nova distância.

Na minha primeira prova do ano o meu tempo foi de 1 hora, 19 minutos e 19 segundos, bem próximo daquela corrida no início de 2014. Mas por enquanto o tempo não era a minha principal preocupação.

Nas corridas seguintes aprendi a me controlar e três meses depois baixei o meu tempo para 1 hora, 18 minutos e 48 segundos. No mês de maio tive a oportunidade de correr uma prova com chuva durante a maior parte do tempo.

Corri com muito cuidado pois estava me recuperando de uma fratura no ombro. Em nenhum momento me preocupei com o tempo de corrido. Para a minha enorme surpresa completei o percurso em 1 hora, 16 minutos e 10 segundos.

Mas este recorde durou pouco tempo, pois na etapa Inverno do Circuito da Estações completei os 10 km em 1 hora, 15 minutos e 16 segundos.

Ainda  tenho várias corridas nos próximos meses quando então terei a chance de melhorar o meu tempo.